Fim do suporte não diminui utilização do Windows Server 2003

Foto ilustrativa

Mesmo correndo riscos, como questões de segurança, muitos ainda colocam a atualização em último plano

Recentes pesquisas apontam que apenas 35% das empresas que utilizam o Windows Server estão com as versões atualizadas. Seus executivos, mesmo cientes dos riscos, como questões de segurança, priorizam outros aspectos do dia a dia acabam colocando as questões de atualização em último plano 

Um dos motivos identificados para a não atualização do Windows Server é a falta de estrutura física para manter o ambiente atual e o de homologação. Segundo executivos, ter um ambiente on premises para testar a nova aplicação teria um custo e impacto de tempo muito elevado, dificultando as atualizações. 

"É mais comum do que parece encontrar empresas que acabam optando por não atualizar a versão do Windows Server por não ter infraestrutura para testes da nova versão. Falando em Datacenter físico, é compreensível a decisão, visto que os equipamentos têm um custo muito elevado. O que impacta realmente é que essa decisão de não atualizar pode comprometer o negócio como um todo no futuro", comenta Alicino Kerches, especialista em soluções de cloud computing da AX4B (http://www.ax4b.com/), parceira Microsoft em soluções de CRM, ERP, Cloud Computing e Licenciamento e recentemente nomeada para o "2015 President"s Club for Microsoft Dynamics".

O que geralmente não é levado em consideração no momento de estruturar os projetos de migração do Windows Server é a possibilidade de colocar o ambiente de testes na nuvem, otimizando consideravelmente o tempo e esforços de migração, além de reduzir potencialmente os custos com infraestrutura.

"Em projetos de migração do Windows Server, sugerimos sempre utilizar o Microsoft Azure para hospedagem dos servidores para homologação por tempo determinado Depois disso fica a critério da empresa manter no Azure ou preparar e voltar para o ambiente on premises, tendo custo somente durante o tempo de projeto", explica Kerches.

O Microsoft Azure é uma plataforma de nuvem aberta e flexível, que pode proporcionar redução dos custos e gestão em escala, permitindo gerar insights a partir de seus dados, suportar funcionários onde quer que trabalhem e em qualquer dispositivo, além de criar novos aplicativos de negócios ou transformar os existentes, aproveitando ferramentas, tecnologias e habilidades comuns. 

"A utilização do Microsoft Azure é estratégica para as empresas que se preocupam com segurança e alta disponibilidade. No caso do Windows Server, a migração com ambiente de testes na nuvem pode reduzir consideravelmente o tempo e custos do que seria um projeto de migração tradicional. Manter as atualizações em dia permite que os executivos possam concentrar esforços em inovação sem se preocupar com as questões de segurança da empresa e sem concentrar grandes esforços em projetos de migração de aplicações", finaliza Kerches. 

Compartilhar: