As principais tendências de negócios digitais para 2016

Fotos: Reprodução

Soraya Lopes: "Não se trata mais de faturar alto sobre um mercado promissor, mas de atender da melhor forma a necessidade deste mercado"

Em 2015 vimos um fenômeno bastante interessante no mercado de empreendimento digital: pessoas que saíram do mercado buscaram investir na construção de suas ideias de produtos se valendo ao máximo do conhecimento e experiência compartilhada pelos players do ecossistema de startups.

Assim como o ano que se encerra, o ano que se inicia terá temas como economia criativa, Marketplaces de produtos e serviços específicos e de nicho, bem como, negócios que ajudam usuários a ganharem mais dinheiro ou diminuírem seus custos como pauta das principais ideias dos empreendedores.

Houve uma migração de produtos sociais para negócios colaborativos nos últimos meses. Antes o percentual de pessoas que queriam criar aplicativos para se relacionar ou se comunicar era muito alto, nos últimos meses fazer negócios (venda e troca) vem ganhando força nas propostas de valores de produtos criados por novos empreendedores. 

Segundo Soraya Lopes, fundadora da SobreApps, a crise econômica e a falta de otimismo para o próximo ano vêm gerando produtos mais robustos e mais úteis para o dia a dia das pessoas. "Não se trata mais de faturar alto sobre um mercado promissor, mas de atender da melhor forma a necessidade deste mercado".

Para incentivar ideias criativas e que permitam a implementação de uma nova proposta de valor para o mercado, a SobreApps (empresa de prototipação e criação de produtos digitais) está com um programa de descontos progressivos para que empreendedores possam ter acesso a seus serviços. "Queremos promover ideias inovadoras e que tenham não apenas escala, mas também, viabilidade técnica e comercial. No fundo, o que vale não é a ideia em si, mas a capacidade do empreendedor de tirá-la do papel, e nós queremos viabilizar isto".

Compartilhar: