Materno Infantil conscientiza sobre como evitar partos prematuros

Foto: HMI

Todos os anos, cerca de 15 milhões de crianças no mundo nascem prematuras, segundo estudo da OMS

Para conscientizar pacientes e colaboradores de como evitar partos prematuros e os cuidados a serem tomados no caso de bebês que nascem de forma precoce, o Hospital Materno Infantil (HMI), em Goiânia, realiza de hoje, dia 16, até sexta-feira, dia 20, aSemana da Prematuridade. Todos os anos, cerca de 15 milhões de crianças no mundo nascem prematuras (antes de 37 semanas de gestação), segundo estudo da Organização Mundial da Saúde (OMS). O parto prematuro é apontado como a maior causa de mortalidade infantil.

Na programação da Comissão para o Fortalecimento do Método Canguru estão atividades educativas e culturais, além de palestras sobre o direito da mãe trabalhadora, atenção ao controle de infecção para redução de danos à prematuridade, cuidados neonatal e as potencialidades do Banco de Leite Humano (BLH) para o bebê. Também haverá oficinas sobre amamentação e estimulação precoce, grupos de discussão entre mães de prematuros e banho de ofurô terapêutico.

Para a neonatologista do HMI, Maria Bárbara Franco, a prematuridade é um tema que deve ser amplamente discutido. “O intuito é evidenciar a importância de uma assistência médica adequada aos bebês prematuros e a prevenção do parto prematuro, quando possível”, destaca a médica. Outro foco é aumentar a visibilidade sobre o assunto ao desmistificar a ideia de que prematuros têm complicações durante o desenvolvimento e crescimento.

O HMI tem uma linha de cuidados progressivos neonatal que oferece todo o suporte necessário, além de garantir atenção integral e humanizada ao bebê prematuro. O que possibilita um desenvolvimento normal, como o das outras crianças”, garante a médica.

Cuidados Intensivos
Seguindo a Portaria 930 (de 10 de Maio de 2012), do Ministério da Saúde, as unidades neonatais do HMI são formadas da seguinte maneira: Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Neonatal, destinada à internação de recém-nascidos graves ou com risco de morte, garantindo um tratamento intensivo para bebê com problemas congênitos ou com prematuridade significativa; Unidade de Cuidados Intermediários Neonatal (Ucin), que é uma unidade com tratamentos semi-intensivos e de assistência contínua à recém-nascidos de médio risco (menor complexidade), que monitora ininterruptamente as funções vitais dos recém-nascidos, procurando estabilizá-lo para que, posteriormente, possa ser encaminhado para as enfermarias.

A Ucin do HMI ainda é divida em duas sub-unidades: a Convencional, responsável pelos cuidados complementares aos recém-nascidos que receberam alta da UTI Neonatal, como ganho de peso e utilização de fototerapia; e a Canguru, que utiliza uma abordagem terapêutica peculiar para o tratamento e acompanhamento dos bebês prematuros, garantindo uma recuperação mais rápida e eficiente.

Nesta enfermaria, as mães são orientadas e permanecem junto aos bebês, que recebem aquecimento direto do corpo materno e todo o suporte multiprofissional necessário para o ganho de peso e crescimento. “O contato direto remete à sensação de estar novamente dentro do útero da mãe, pois ele consegue sentir o seu calor e a movimentação da respiração. Isso é muito importante, pois os prematuros costumam apresentar apneia e, com isso, esquecem de respirar com a frequência necessária. Com isso, eles se recordam naturalmente”, finaliza Maria Bárbara.

Compartilhar: