Horário de verão e risco maior de derrame

Foto: Reprodução

Mudança de uma hora no relógio, pode trazer transtornos à saúde. O sono está relacionado com muitas mudanças fisiológicas que são normalmente protetoras contra o derrame

Mudanças no relógio para poupar o tempo no dia (horário de verão) podem causar um pico em curto prazo em algumas pessoas com risco de ter um derrame, de acordo com um estudo preliminar. Analisando uma década de dados em derrame, pesquisadores finlandeses mostraram que a incidência nacional de derrame tende a aumentar ligeiramente nos dois dias seguindo as transições de tempo do horário de verão, tanto para adiantar como para atrasar o relógio. Há uma relação conhecida entre as interrupções nos ritmos circadianos corporais e o risco de derrame. Os ritmos circadianos referem às mudanças nos processos corporais biológicas que ocorrem nas 24h do dia, principalmente em resposta à luz e ao escuro. 

Esses ritmos podem ser prejudicados em diferentes formas. Trabalho em turno trocado e insônia são dois exemplos e, ambos estão associados com maior risco de condições de saúde, inclusive o derrame. O sono está relacionado com muitas mudanças fisiológicas que são normalmente protetoras contra o derrame, como a pressão arterial mais baixa. Quando o sono é atrapalhado pode haver também mudanças nesses processos protetores biológicos. No geral, os pesquisadores mostram que a incidência de derrame foi maior em 8% durante os primeiros dois dias após a transição do tempo no horário de verão. 

Compartilhar: