D. ERIC, NOSSA SAUDADE

Foto: Arquivo/Imprensa Livre

Dom Eric, durante visita a redação do jornal Imprensa Livre, quando concedeu sua última entrevista

Dom Eric James Deitchman, se vivo, estaria comemorando 85 anos de vida, completado no último dia 4 de junho. Aqui na redação, tirei algumas horas para rever entrevistas e fotos, recordar um pouco e agradecer a Deus por tudo que ele fez por mim e minha família.

Fiquei pensando se deveria manifestar alguma coisa, “colocar para fora” esse sentimento de saudade. Os dias se passaram eu resolvi escrever essas poucas linhas. Entendo que não posso me esquecer desse ser humano tão especial, cuja história merece ser reverenciada, sempre.

Por certo, se vivo, ele estaria no mesmo ritmo, incansável como sempre foi. Estaria apresentando ideias e lutando para concretizá-las, denunciando a destruição da natureza e colocando a “cara no mundo” para defendê-la, falando de amor e compreensão… Estendendo a mão e abraçando a todos.

Hoje, há quase 22 anos de sua morte, preciso reconhecer que Dom Eric nos surpreendia com sua amizade, carinho e dedicação. Preciso deixar aqui registrado, que tive a honra de conhecê-lo e de conviver com ele.
(Fernando Brandão)

Compartilhar: