Teremos harmonia muito maior, diz Temer após eleição de Maia na Câmara

FOTO: REPRODUÇÃO

O presidente em exercício destacou a conduta cívica da Câmara e disse que ela é "indispensável para os bons trabalhos legislativos"

O presidente em exercício Michel Temer (PMDB) comemorou o resultado da eleição na madrugada de quinta-feira, 14, que elegeu Rodrigo Maia (DEM) como novo presidente da Câmara e ressaltou que se há um Legislativo em oposição ao Executivo fica difícil governar. "Acompanhei com muito cuidado e interesse o que lá acontecia e verifiquei uma coisa curiosa. Estamos pregando a pacificação do País, a harmonia entre poderes de Estado e o que assistimos ontem lá era a pregação de uma harmonia interna, de uma distensão", afirmou, após cerimônia no Planalto, quando atendeu aos apelos da imprensa para comentar sobre a sucessão de Eduardo Cunha. 

Temer destacou ainda o abraço entre Maia o candidato derrotado Rogério Rosso (PSD-DF) e disse que achou o gesto "interessante". "No último ato, quando se deu o segundo turno, os dois candidatos se abraçaram, revelando a distensão", disse. "Naquele momento senti que o Brasil está se distensionando", afirmou. 

O presidente em exercício destacou a conduta cívica da Câmara e disse que ela é "indispensável para os bons trabalhos legislativos". "Teremos, penso eu, a partir daí uma harmonia muito maior, que será útil para o Executivo", disse. "Governo é executivo, legislativo e judiciário. Mas, particularmente no caso do executivo, você precisa ter apoio substancioso do Legislativo. Se você tem legislativo em oposição ao executivo fica difícil governar", reforçou. 

Temer disse ainda que os candidatos que competiram na eleição de ontem eram quase todos da base e foi uma disputa "competente e elevada", que teve um resultado "que a Câmara dos Deputados desejou."


LEIA MAIS…
Temer rebate Dilma e assina norma que prioriza caso de microcefalia ao Minha Casa

O presidente em exercício, Michel Temer, anunciou na manhã desta quinta-feira, 14, a assinatura de uma instrução normativa para dar preferência a famílias com pessoas com microcefalia na obtenção de uma unidade habitacional do Minha Casa Minha Vida. Segundo Temer, a decisão foi tomada durante reunião de trabalho do núcleo social, composto pelos ministérios da Casa Civil, das Cidades, Esporte, Cultura, Educação, Desenvolvimento Social e Agrário e Saúde. "Reunimos em grupos ministérios desconexos e isso tem dado um resultado extraordinário para o governo", afirmou, em evento no Palácio do Planalto. 

Para rebater as críticas da presidente afastada Dilma Rousseff de que seu governo quer extinguir os programas sociais, Temer afirmou que, além de mantê-los, sua equipe está trabalhando para aprimorá-los. "Atentos a questões sociais, temos que destacar àquelas mães que lamentavelmente possam ter filhos nessas condições", disse o presidente em exercício. 

Temer disse que a divulgação da medida era importante para que as famílias pudessem agora procurar as prefeituras e realizarem o cadastro para recebimento da moradia pelo programa. 

Presente na cerimônia, o ministro das Cidades, Bruno Araújo, informou que a prioridade a famílias com membros com microcefalia estará dentro da faixa 1 do programa. "Temos 200 mil unidades que ainda não foram entregues que não tem destinatários", afirmou, explicando que este será o universo no qual as famílias com bebês com microcefalia terão prioridade. "Pelo número de unidades disponíveis há garantia do atendimento dessas famílias", completou. 

Segundo o ministro, atualmente o Brasil tem 8.450 mil casos notificados, sendo 1.687 já confirmados. Atualmente, bebês com microcefalia de famílias de baixa renda já têm direito ao benefício de prestação continuada, no valor de um salário mínimo.

O ministro da Saúde, Ricardo Barros, afirmou que todas as crianças com microcefalia serão dispensadas do sorteio das unidades habitacionais. "Portanto, automaticamente atendidas. E sorteio fica para as demais pessoas", disse.

 

 

Compartilhar: