Pesquisa aponta Marina Silva na liderança das intenções de voto para 2018

Foto: Reprodução

Marina apresenta de 21% a 24% das preferências dos entrevistados, dependendo de quem seria o candidato do PSDB no pleito

A ex-senadora Marina Silva (Rede) aparece na frente em todos os cenários apurados por pesquisa de intenção de voto realizada pelo Datafolha nos dias 17 e 18 de março, para a eleição presidencial de 2018. Ela apresenta de 21% a 24% das preferências dos entrevistados, dependendo de quem seria o candidato do PSDB no pleito. 

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi o político que mais perdeu em intenções de voto entre a pesquisa anterior realizada pelo Datafolha, em fevereiro, e o levantamento de março. Lula perdeu pontos acima do nível da margem de erro em todas as simulações, que consideravam também Marina Silva e um de três políticos do PSDB, no caso o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, e os senadores Aécio Neves (MG) e José Serra (SP). 

Numa das simulações, Lula ficaria em terceiro lugar com 17%, Aécio seria o segundo colocado, com 19%, e Marina lideraria, com 21%. Nesta pesquisa, ele foi quem perdeu mais intenções de voto em relação às anteriores, pois tinha 24% em fevereiro e 27% em dezembro.


LEIA MAIS…
Cresce apoio popular pelo impeachment da presidente Dilma

Pesquisa mostra que cresceu o apoio popular ao impeachment e à renúncia da presidente Dilma Roussef. Conforme levantamento do Datafolha, no caso do impeachment 68% da população se diz favorável ao processo, oito pontos acima do porcentual verificado em pesquisa feita em fevereiro. Quando questionados sobre a hipótese de renúncia, o apoio popular cresceu de 58% para 65% no período.

A pesquisa, feita entre os dias 17 e 18 de março com 2.794 eleitores, mostra que, ao mesmo tempo, 27% população é contrária ao processo de impeachment, uma redução ante os 33% que tinham essa opinião em fevereiro. A reprovação ao governo também subiu e agora 68% dos eleitores avaliam o governo Dilma como ruim ou péssimo. A taxa se aproxima do recorde de 71% apurado pelo instituto em agosto de 2015.

Questionados sobre a hipótese de um governo liderado pelo vice-presidente Michel Temer, apenas 16% acreditam que tal governo seria ótimo ou bom e 35% opinam que seria ruim ou péssimo.


Nível de rejeição a Lula atinge recorde, diz pesquisa

A taxa de rejeição ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva atinge nível recorde, de 57%, segundo pesquisa do Datafolha, publicada na noite de sábado, 19. Em novembro do ano passado, 47% dos entrevistados disseram que não votariam em Lula caso se candidatasse. O dado também é recorde entre candidatos à presidência, superando inclusive a rejeição ao peemedebista Ulysses Guimarães na campanha de 1989, até então o maior índice de rejeição, que era de 52%. Por outro lado, quando perguntados sobre qual foi o melhor presidente que o Brasil já teve, Lula lidera com 35% das respostas, à frente de FHC, com 16%, entre outros. 

A pesquisa também apurou que para 68% dos entrevistados, Lula aceitou o cargo de ministro-chefe da Casa Civil no governo de Dilma Rousseff com o objetivo de obter foro privilegiado, de modo a escapar de ser julgado em primeira instância nas investigações da Operação Lava Jato. O juiz Sergio Moro "agiu bem" ao obrigar o ex-presidente a depor na Polícia Federal dia 4 de março, ante 13% das respostas com "agiu mal", segundo o Datafolha.

Em relação ao desempenho do governo com Lula no ministério, 36% responderam que a gestão Dilma deve piorar e 38% acreditam que nada mudará. A pesquisa foi realizada nos dias 17 e 18 de março, com 2.794 entrevistados em 171 municípios.

Compartilhar: