Padilha diz que Temer lançou alicerce do ajuste fiscal e reforma da Previdência

FOTO: REPRODUÇÃO

Eliseu Padilha: "A confiança no governo já propicia a retomada das atividades econômicas. A tendência foi invertida”

O ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, afirmou no domingo, 12, que o presidente em exercício Michel Temer "lançou alicerces do ajuste fiscal, da reforma da Previdência e da racionalização tributária". No dia em que Temer completou um mês de governo, Padilha utilizou a sua conta no Twitter para elogiar ações da gestão provisória na área econômica.

"A confiança no governo já propicia a retomada das atividades econômicas. A tendência foi invertida. Caíam há 3 anos", afirmou o ministro. Padilha também declarou que o apoio de Temer no Congresso se mantém acima da maioria dos parlamentares.

"Aprovou tudo. Meta Fiscal, reajuste dos servidores e a necessária DRU", disse. Outro motivo de mérito para o governo, segundo Padilha, foi a redução de cargos. "(Temer) desaparelhou o Governo Federal em 13.746 cargos de livre nomeação. 4.307 foram extintos e 10.462 foram para concursados. Só com o fim de 4.307 cargos de livre nomeação Temer economizou R$ 231.892.438 19. Vai para Minha Casa, minha Vida, educação…", escreveu.

"Temer, 30 dias: em todos lugares, em todas classes sociais, com todos os profissionais a esperança está virando confiança no Brasil", finalizou o ministro. Em sua conta no microblog, o presidente Temer compartilhou alguns dos comentários feitos por Padilha.

Previdência
No sábado, 11, Padilha já havia usado o Twitter para defender as reformas da Previdência e a reforma Trabalhista. De acordo com o ministro, as reformas serão feitas para "garantir direitos à aposentadoria e ao emprego, que estão em risco". "Para não prejudicar aos trabalhadores as Reformas são indispensáveis. Hoje temos grande déficit de empregos e na previdência. Só serão garantidos os direitos dos trabalhadores com as reformas. Como está, a garantia diminui dia pós dia. Às reformas já."

À frente da pasta, Padilha afirmou que 'a Casa Civil coordena, pelo governo, o debates para as reformas serem construções coletivas de todos os interessados de todos". "O governo deve coordenar a Reforma da Previdência a muitas mãos, na busca da sustentabilidade. Será Responsabilidade de todos. O Governo não tem uma – tem muitas – proposta para a Reforma da Previdência. Pois ele quer todos a fazendo e a aprovando", concluiu. Os comentários foram escritos um dia depois da reunião de Temer com representantes das centrais sindicais, na última sexta-feira. (Julia Lindner e Adriana Fernandes)


LEIA MAIS…
"Já começamos a recuperar a credibilidade do País", diz Moreira no Twitter

Ao comentar os primeiros 30 dias de governo, o secretário-executivo do Programa de Parcerias de Investidores (PPI), Moreira Franco, afirmou que há um funcionamento pleno das instituições no Brasil, apesar do quadro de crise político-institucional.

Segundo ele, essa situação é mérito do presidente em exercício Michel Temer. 

Em postagem no Twitter, Moreira citou o quadro atual do País com "presidente da República afastada, presidente da Câmara afastado pedido de prisão contra o presidente do Senado".

"O Congresso vota, o Judiciário julga, o Ministério Público processa, a polícia investiga, a vida democrática vai se desfiando dentro do devido processo legal. Mérito do presidente Temer", disse.

Moreira avaliou que o novo governo "acerta na economia" e manifestou confiança na recuperação dos emprego. "Já começamos a recuperar a credibilidade do País para voltarmos a gerar empregos", previu. "O projeto é Crescer", afirmou ele numa referência ao nome dado ao PPI.

Compartilhar: