ONU classifica notícia sobre Lula de ‘dramática’

Foto: Reprodução

Entre os diferentes temas de interesse do departamento dirigido por Rupert Colville, está o impacto da corrupção nos direitos humanos

O porta-voz da ONU para Direitos Humanos, Rupert Colville, classificou a notícia da operação da Polícia Federal contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como "dramática". Apesar da avaliação, ele se recusou a fazer qualquer tipo de comentário sobre o fato.

Entre os diferentes temas de interesse de seu departamento está o impacto da corrupção nos direitos humanos.

A 24ª fase da Operação Lava Jato já repercute pelo mundo. Na BBC a notícia já é a manchete da rede britânica, superando o noticiário sobre as eleições americanas ou crise de refugiados na Europa. Em diversos outros sites, a notícia também é de grande destaque.

Com apoio na Europa por anos, Lula percorreu diversos países do Velho Continente recebendo prêmios de governos locais e instituições. No Fórum Econômico Mundial, por exemplo, ele foi anunciado como Estadista do Ano em 2012.


LEIA MAIS…
'Pega bandido' diz motorista em frente ao apartamento de Lulinha

A chegada da Polícia Federal no apartamento de Fábio Luís Lula da Silva, o Lulinha, em Moema, alterou a rotina do filho do ex-presidente Lula e de outros condôminos do edifício Hemisphere na zona sul de São Paulo. Na rua, alguns motoristas buzinam e tentam tirar fotos da entrada do prédio. "Pega bandido!", gritou um deles. 

Lulinha não foi visto na academia interna do condomínio no início da manhã, onde costuma ir diariamente sozinho. "Ficou todo mundo cochichando, falando baixo. Queriam saber o que estava acontecendo, onde ele estava", contou o professor de educação física Leonardo Barbosa, de 35 anos, que dá expediente no local.

Do lado de fora, dois seguranças do prédio vistoriam todos os veículos que entram, mesmo o de moradores, que precisam se identificar. Um prestador de serviços do prédio precisou esperar na portaria.

Vizinho do prédio, um servidor público de 56 anos, que pediu para não ser identificado, diz que o filho do ex-presidente Lula não é muito visto no bairro. Ele não sabia da chegada da Polícia Federal no edifício, mas diz que acompanha as investigações pela imprensa e "espera justiça".

De acordo com moradores, a Polícia Federal foi ao apartamento e levou apenas alguns documentos.

Compartilhar: