Lula aponta momento difícil para o PT

Foto: Reprodução

Lula: "Vamos torcer para que quando comemorar 37 anos de idade (em 2017) estejamos mais fortes do que hoje"

Em vídeo divulgado ontem, 10, para comemorar o aniversário de 36 anos do PT, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou que o partido atravessa dificuldades momentâneas e manifestou o desejo de que no ano que vem, ao comemorar 37 anos, a legenda esteja mais forte do que hoje. 

"Se Deus quiser, apesar de toda dificuldade momentânea, (o PT) vai continuar a ser o grande partido da história deste país", disse Lula. "Vamos torcer para que quando comemorar 37 anos de idade (em 2017) estejamos mais fortes do que hoje", completou o ex-presidente.

No vídeo de pouco mais de três minutos Lula não citou as investigações das quais é alvo. O Ministério Público Estadual investiga um tríplex ao qual a família do ex-presidente teria direito no Guarujá (SP) e o juiz Sérgio Moro, responsável pela Operação Lava Jato na primeira instância, autorizou a abertura de um inquérito específico para que a Polícia Federal apure a relação entre empreiteiras e um sítio usado pelo petista em Atibaia (SP).

Sem mencionar nomes, Lula admite de forma genérica erros cometidos por petistas. "É certo que não fizemos tudo o que tínhamos que fazer. É certo que cometemos erros e quem comete erros paga pelos erros que cometeu, é certo que um partido com esta quantidade de filiados tem gente mais à esquerda, mais à direita, mais ao centro. O PT não é uma seita", disse Lula.

Reflexão
O ex-presidente pediu que a população "faça uma reflexão" sobre a importância histórica do PT – classificado mais de uma vez como o mais importante partido do Brasil – e enumerou exemplos inovadores do chamado "modo petista de governar", como Orçamento Participativo.

Segundo Lula, a importância histórica do PT decorre do fato de o partido ter sido o primeiro a "dar voz ao povo" brasileiro, trazendo setores antes excluídos para a vida política nacional. "Nossos adversários conservadores não aceitam", disse. 

Diante da revelação do esquema da corrupção na Petrobrás investigado pela Lava Jato e do desempenho ruim da economia e do governo no segundo mandato da presidente Dilma Rousseff, o PT atravessa seu pior momento desde que Lula chegou ao poder, em 2003.

Defesa
Na avaliação de dirigentes petistas, o desejo de Lula de que o PT esteja mais forte no ano que vem passa pelo destino do próprio ex-presidente frente às investigações das quais é alvo. Por isso o partido saiu em defesa de Lula. Em uma inserção de rádio e TV veiculada na semana passada e em artigo publicado no site do partido, o presidente do PT, Rui Falcão, defendeu o ex-presidente. 

Movimentos sociais ligados ao PT prometem fazer uma manifestação na porta do fórum criminal da Barra Funda, na zona oeste de São Paulo, no dia 17, quando Lula deve prestar depoimento sobre o tríplex no Guarujá. Nos dias 26 e 27, quando o PT vai comemorar o aniversário com uma série de atividades no Rio de Janeiro, o partido fará um ato em solidariedade ao ex-presidente. 

Lula deve se reunir nesta quinta-feira, 11, com advogados para definir a estratégia de defesa judicial e política. Dirigentes petistas já manifestaram ao próprio ex-presidente que esperam uma resposta mais contundente em relação ao sítio em Atibaia.

O PT aprovou a entrada dos advogados Nilo Batista na defesa de Lula e Alberto Zacharias Toron como defensor de Fernando Bittar, um dos donos do sítio e sócio de Fábio Luiz, o Lulinha, filho do ex-presidente.

Compartilhar: