Em nota, Lula diz que ‘verdade ficará clara no correr das investigações’

Foto: Reprodução

"São infundadas as suspeitas do Ministério Público de São Paulo e são levianas as acusações de suposta ocultação de patrimônio por parte do ex-presidente Lula ou seus familiares", diz nota

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva divulgou nesta sexta, 29, por meio do Instituto Lula, uma nota para comentar a intimação do ex-presidente e sua mulher, Marisa Letícia a prestarem depoimento como investigados. "São infundadas as suspeitas do Ministério Público de São Paulo e são levianas as acusações de suposta ocultação de patrimônio por parte do ex-presidente Lula ou seus familiares", diz a nota. "A verdade ficará clara no correr das investigações".

Nesta sexta-feira, o promotor de Justiça Cássio Conserino, do Ministério Público de São Paulo, intimou o ex-presidente, sua esposa e o empreiteiro José Adelmário Pinheiro, o Léo Pinheiro, ligado à OAS, a prestarem depoimento no dia 16 de fevereiro. Conserino diz ter indícios de que houve tentativa de esconder a identidade do verdadeiro dono do tríplex, o que pode caracterizar crime de lavagem de dinheiro.

A nota do ex-presidente diz que ele e sua esposa "nunca esconderam que ela adquiriu, em 2005, uma cota da Bancoop, paga em prestações mensais, que foi declarada no Imposto de Renda". "Mas nunca foram proprietários de apartamento em qualquer condomínio da Bancoop ou de suas sucessoras". 

Na quarta-feira, 27, a Operação Lava Jato deflagrou a Triplo X, sua 22ª fase, que tinha como alvos a Bancoop, a OAS e a Mossack Fonseca. Segundo a PF, esta etapa da investigação apura a ocultação de patrimônio por meio de um empreendimento imobiliário, o Condomínio Solaris, "havendo fundadas suspeitas de que uma das empreiteiras investigadas na Operação Lava Jato teria se utilizado do negócio para repasse disfarçado de propina a agentes envolvidos no esquema criminoso da Petrobras".

A Polícia Federal incluiu o triplex 164-A, que seria da família do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no rol de imóveis com "alto grau de suspeita quanto à sua real titularidade" sob investigação na Triplo X.


LEIA MAIS…
Filhos de Lula o defendem nas redes sociais

Em uma de suas postagens no Facebook, na quinta-feira, 28, Fábio Luis Lula da Silva, o filho mais velho do ex-presidente Lula, adicionou um link sobre o "mercado imobiliário suspeito brasileiro". É um pôster ilustrado com seis casos de compras de imóveis supostamente suspeitas. Cita, pela ordem, com as respectivas compras, ou venda, a jornalista Patrícia Poeta, os senadores Aécio Neves e Álvaro Dias, o ex-ministro Joaquim Barbosa, do Supremo Tribunal Federal, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, e, por último, "Lula, 65 anos, metalúrgico e ex-presidente – Desistiu de um apartamento no Guarujá avaliado em R$ 1,5 milhão". Segue, então, a pergunta: "Por que apenas Lula é alvo da imprensa e da Lava-Jato?".

O link foi postado, originalmente, no facebook de Aninha Ornellas. Fábio Luis o compartilhou, junto com um comentário: "Gostaria de saber que metodologia a PF usa para fazer suas investigações de imóveis suspeitos". Patrícia Poeta encabeça a lista: "comprou apartamento na Vieira Souto, Rio, por R$ 23 milhões". Aécio Neves "tem Apt no Rio de Janeiro, de R$ 6,5 milhões, declarado com valor 60 vezes abaixo de seu preço de mercado". Álvaro Dias "vendeu 5 casas em Brasília por R$ 16 milhões". Joaquim Barbosa "comprou apartamento em Miami por U$ 1 milhão em nome de uma empresa de fachada". FHC "comprou de um trensaleiro de SP um apartamento em Paris avaliado em R$ 11 milhões".

Todos os casos citados têm informações erradas ou imprecisas. E nenhum está sob investigação da Polícia Federal. Tirante o do edifício Solaris, no Guarujá. Todos os cinco filhos do ex-presidente Lula usam seus perfis no Facebook para defender o pai – uns com mais posts, outros com menos. Ontem, por exemplo, Fábio Luis, Sandro Luis e Marcos Cláudio compartilharam um twitter do senador Roberto Requião, do PMDB do Paraná: "A OAS teria assumido um edifício inteiro da Bancoop só para dar um apartamentinho de uma mil ha ao Lula? Ora, vão se lixar nas ostras!", escreveu o senador em seu estilo peculiar.

Quem o compartilhou, primeiro, foi a senadora (e ex-ministra da Casa Civil) Gleisi Hoffmann. "Esse twitter do Roberto Requião resume a indignação que todos nos estamos sentindo pela perseguição descarada, sistemática, odiosa que estão fazendo contra Lula. É a velha inquisição da modernidade: não consigo combater suas ideias, não consigo disputar sua liderança, não consigo parar você, então destruo o que você é", tuitou a senadora do PT.

Compartilhar: