Muita dor – Mãe de advogada morta em assalto diz que perdoa, mas não quer ver adolescente que confessou crime

Facebook/Reprodução

Laís Fernanda Araújo Silva foi morta enquanto tentava estacionar carro, em Goiânia

Mãe da advogada que foi morta após ser baleada durante assalto em Goiânia há duas semanas, Odete Araújo afirmou à TV Anhanguera perdoar o adolescente de 14 anos que confessou o crime, mas afirmou não querer vê-lo. A vítima, Lais Fernanda Araújo Silva, tinha 30 anos e foi surpreendida quando estacionava o carro, no Setor Alto da Glória.
Quatro pessoas foram detidas suspeitas de envolvimento com o homicídio, e a Polícia Civil afirma
“Isso dá uma tristeza no meu coração, essa criança não ter tido uma família, uma orientação, uma base, uma formação. Porque eu acredito que, se ele tivesse, ele não faria isso, jamais”, disse Odete, bastante emocionada.

“Se eles soubessem o tanto que dói, o tanto que é demais para o coração de uma mãe, de toda a família. Mas, sobretudo, da mãe, porque você carrega no ventre aquela criança, cria aquela criança com o maior amor, e de repente você perde de uma forma tão gratuita, tão besta, tão banal, tão sem necessidade alguma.”

A família viveu duas semanas de silêncio. As investigações são consideradas quase concluídas pela Polícia Civil, que ainda tenta identificar o detento que teria ordenado o assalto. Na última terça (22), o autônomo Leandro Antonello Vicente da Silva, de 38 anos, foi preso suspeito de dirigir o carro que deu cobertura aos ladrões. Ele admitiu o crime.
No mesmo dia, a única mulher suspeita de integrar o grupo, Luziane Ramos de Sousa, passou por audiência de custódia e teve a prisão preventiva decretada. A defesa dela alegou que ela estava com o grupo, mas não sabia da intenção de cometer o crime.
“É uma falta tão grande. É uma falta que eu não sei explicar”, declarou a mãe. “[Laís era] Um anjo, uma pérola.”
Quadros pintados por Laís se espalham pela casa. Para a mãe, o colorido das telas é uma marca da própria advogada.
“A Laís expressava tudo isso. Ela era um colorido, ela era uma rosa, ela trazia alegria para todo mundo.”
O quarto da advogada segue do jeito que ela deixou. Na estante, há diversos livros de direito. O mural está cheio de fotos e recordações.
“Como que faz para você rever todos os vestidos, roupinhas , sapatos, os pertences dela? Quero que Deus me dê muita força para eu beijar e abraçar um por um, como se ela estivesse aqui”, disse Odete.

Por Raquel Morais, G1 GO

Olhe link da matéria completa e vídeo:
https://g1.globo.com/go/goias/noticia/mae-de-advogada-morta-baleada-em-assalto-diz-que-perdoa-mas-nao-quer-ver-adolescente-que-confessou-crime.ghtml

 

 

Compartilhar: