Amor Bandido – Saiba quem é a noiva do Serial Killer de Goiânia

Reprodução/Sistema Prisional

Jéssica Alves dos Santos, 21, detenta do presídio Consuelo Nasser: Romance proibido com o noivo serial killer

Jairo Menezes – Mais Goiás

Com passagens por roubo, latrocínio, associação criminosa e 21 anos de idade, ela cumpre pena na ala feminina da Casa de Prisão Provisória (CPP). Jéssica Alves dos Santos tem 20 anos de condenação por roubo e dois processos judiciais em segredo de justiça. Ela nunca esteve pessoalmente com Tiago Henrique Gomes da Rocha, de 30 anos, o serial killer de Goiânia, que assumiu 39 assassinatos. Entretanto os dois teriam trocado cartas dentro do presídio. As correspondências seriam a única forma de contato de um o romance proibido.

Com 1,65 de altura, pele branca, olhos e cabelos castanhos, Jéssica Alves é virginiana. Ela chegou a concluir o ensino fundamental e morava no Bairro Independência, em Aparecida de Goiânia. Hoje, em outro endereço na mesma cidade, ocupa a Cela 2 no Bloco 3 da Ala-A, na CPP. A condenação, dada pela 3ª Vara Criminal da mesma cidade é por roubo, mas ela aparece como acusada em outros processos criminais.

O relacionamento, que resultaria em casamento com previsão para esta semana, foi impedido pela Diretoria Geral de Administração Penitenciária, porque segundo o regimento da unidade, detentos não podem se relacionar de forma amorosa com outros presos. “Não será permitido o relacionamento entre reeducandos, excetuando os casos em que: Forem casados civilmente antes da prisão de um deles”, determina o Regimento dos Núcleos Especiais de Custódia. O documento é de maio de 2018.

Jéssica se apresentou em dezembro de 2017 à Polícia Civil de Aparecida de Goiânia e assumiu participação no latrocínio do motorista de aplicativo Lindimar Ferreira Santos, de 28 anos. O crime aconteceu no dia 1º de dezembro, na porta de uma agência bancária do Jardim Monte Cristo. O homem foi morto a facadas. Outras três pessoas foram presas acusadas de participação. À época o delegado Divino Batista dos Santos, que chefiava a investigação no 3º Distrito Policial e divulgou a foto dela, disse que Jéssica ficou no carro da vítima enquanto os comparsas executaram o homem. Todos fugiram juntos, após o crime, segundo o delegado. Ainda não há decisão judicial neste processo, que corre em sigilo.

Em 2016 Jéssica foi vítima de uma tentativa de homicídio. Ela estava em uma festa, em Goiânia, quando alguns homens teriam brigado com seguranças do evento. Ela teria sido atingida na confusão. A ocorrência da Polícia Civil não é clara quanto ao motivo.

“Advogada”
A Diretoria Geral de Administração Penitenciária confirmou que o pedido para o casamento de Tiago e Jéssica foi feito em 19 de junho pela advogada Luciana Almeida Martins. Entretanto, o nome dela não consta nos processos criminais ou de execução penal do serial killer. Mesmo assim, mas ela garante ser procuradora dele. Apesar de não atender ligações telefônicas, a jurista, que concedeu entrevistas a veículos de comunicação sobre o casamento de Tiago na semana passada, aceitou responder mensagens instantâneas encaminhadas pela reportagem do MAIS GOIÁS.

Segundo ela, seu nome não consta nos documentos “porque só faço os procedimentos do presídio: Requerimentos e outros pedidos. Mas tenho procuração assinada por ele. Sou Advogada particular”. A advogada ainda disse à reportagem que responderia as perguntas por meio de um assessor de imprensa, mas este respondeu, nesta segunda-feira (25), que não há contrato firmado entre ele e Luciana. Ainda, em pesquisa feita na 1ª Vara de Execuções Penais, responsável pelo preso, não existem petições do serial killerfeitas pela defensora.

Poucas visitas
Fontes ligadas à Administração Penitenciária informaram ao Mais Goiás que duas pessoas estão no cadastro da Diretoria Geral de Administração Penitenciária para fazer visitas a Tiago: A mãe, S.G.R.N, de 48 anos, e o irmão, T.H.G.R, de 29 anos. O apogeu da fama pelo porte físico do serial killer já passou: A última carta de fora foi recebida em junho de 2018. Um dos diretores ainda relatou que há várias cartas armazenadas no arquivo da DGAP. Mulheres e homens, nos primeiros momentos após a prisão dele, mandaram correspondências.. As origens das cartas não foram reveladas.

A mãe dele, uma mulher de meia idade, faz visitas semanais, segundo fontes ligadas ao sistema prisional. Os assuntos discutidos no parlatório (onde acontecem os encontros) não são divulgados para que haja privacidade. Em entrevistas a veículos de comunicação, à época da prisão, a mulher contou que a origem da família é muito religiosa. Protestante extremista, a mulher não tinha televisão nem rádio em casa por opção.

Tiago
O assassino em série foi preso no dia 7 de agosto de 2014, depois de reportagens na imprensa revelarem a existência de uma investigação policial que caçava o homem que matava mulheres e moradores de rua em Goiânia. Na época, autoridades negaram a existência de um maníaco assassino, mas depois assumiram que as negativas aos questionamentos eram para não criar pavor na sociedade.

Em 32 dos assassinatos o homem recebeu sentença por homicídio. Em dois processos o acusado foi absolvido e em um, foi condenado duas vezes pela justiça porque a primeira sentença foi anulada por haver erros processuais. Veja as condenações de Tiago que, somadas, chegam a 684 anos e 10 meses.

Olhe link da matéria completa:
https://www.emaisgoias.com.br/saiba-quem-e-a-noiva-do-serial-killer-de-goiania/

 

 

 

 

Compartilhar: