600 anos de prisão – Serial killer de Goiânia enfrentará júri popular pela morte de jovem em ponto de ônibus

Arquivo Pessoal/Marlene Bernadete

Bruna Gleycielle de Sousa Gonçalves, assassinada em um ponto de ônibus de Goiânia

Apontado como serial killer de Goiânia, o vigilante Tiago Henrique Gomes da Rocha, de 30 anos, enfrenta, nesta quinta-feira (20), o 33º júri popular. Desta vez, ele será julgado pela morte de Bruna Gleycielle de Sousa Gonçalves, de 26 anos, em um ponto de ônibus da capital.

A sessão está prevista para começar às 8h30, no Fórum Cível de Goiânia, localizado na Av. Ondina, no Setor Park Lozandes. O juiz Eduardo Pio Mascarenhas da Silva, titular da 1ª Vara Criminal de Goiânia, presidirá a sessão.

O promotor de Justiça Maurício Gonçalves de Camargos é o responsável pela acusação. Tiago responde por homicídio qualificado pelo uso do recurso que dificultou a defesa da vítima.

A defesa de Tiago ficará a cargo da Defensoria Pública. A assessoria de imprensa do órgão informou que, por enquanto, não se pronunciará sobre a sessão desta quinta-feira.

Crime
O homicídio aconteceu no dia 8 de maio de 2014, na Avenida de T-9, em um ponto de ônibus em frente a uma marmoraria, no Setor Jardim América. Bruna estava acompanhada de um colega de trabalho, pois aguardava um ônibus para voltar para casa.

Segundo a denúncia, o vigilante, portando uma arma de fogo, se aproximou de moto e, sem retirar o capacete, deu voz de assalto. Enquanto Bruna pegava o celular, ele atirou contra o peito da vítima. O amigo dela não se feriu.

Série de homicídios
O vigilante está preso desde 14 de outubro de 2014, no Núcleo de Custódia do Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana. Tiago Henrique ficou conhecido como o serial killer de Goiânia por ser apontado como responsável por mais de 30 assassinatos, sendo a maioria contra mulheres.

Dos 32 julgamentos que Tiago Henrique enfrentou, ele foi absolvido em três processos. Até agora, as penas somam mais de 600 anos de prisão.

O vigilante também já foi condenado pela Justiça a 12 anos e 4 meses de prisão em regime fechado por ter assaltado duas vezes a mesma agência lotérica do Setor Central, na capital goiana.

(Por Paula Resende, G1 GO)

Olhe link da matéria completa:
https://g1.globo.com/go/goias/noticia/2018/09/19/apontado-como-serial-killer-de-goiania-vigilante-enfrenta-juri-popular-pela-morte-de-jovem-em-ponto-de-onibus.ghtml

 

 

Compartilhar: