Tem início a colheita da jabuticaba em Hidrolândia

Foto: Emater / Nivaldo Ferr

Variedade conquista consumidores em todo o Estado

A produção de jabuticaba tem valor agregado e integrado à mesa dos goianos em forma de geleias, sucos, doces e pratos salgados. A variedade também marca presença em forma de licor, vinhos e até mesmo cachaça. A criatividade do consumidor tem tornado a produção agradável ao produtor rural. Mesmo em tempos de seca, a produção tem gerado lucros a quem se dedica ao cultivo da fruta. Alinhando ao período da safra, a unidade  de Hidrolândia da  Agência Goiana de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater) oferece, de 3 a 5 de outubro, o curso de Tecnologia de Processamento de Jabuticaba para o máximo de dez participantes.

Os produtores que se mantêm firmes na produção de jabuticaba no município de Hidrolândia deram início à colheita da safra 2016 neste mês de setembro. Produtores que não utilizam a técnica da irrigação em sua produção começam a temporada na segunda quinzena deste mês, já os irrigantes começaram a colheita na primeira semana de setembro. Atualmente, a terra da jabuticaba, como é considerado o município goiano, contempla 130 produtores da variedade e uma área plantada de 193 hectares.

Emater
Além da prestação de assistência técnica aos produtores rurais que cultivam jabuticaba em Hidrolândia, a Emater local apresenta oportunidades de comercialização e produção da variedade. Segundo a analista de desenvolvimento rural da Emater na cidade, Alenir Batista de Souza, o curso de Tecnologia de Processamento de Jabuticaba é bem requisitado por produtores da região.

Das compotas ao licor, o curso ensina o aproveitamento máximo da fruta. Ainda de acordo com a analista, “o objetivo é capacitar essas pessoas para que elas conquistem novas formas na obtenção de renda”. Para a concretização do curso, a Emater conta com a parceria das fazendas Brilhante e Jabuticabal. Elas fornecem a matéria-prima necessária para o desenvolvimento dos pratos.

Confirmação
Para se ter uma ideia da potencialidade da produção em Hidrolândia, a estimativa para essa safra é de uma colheita equivalente à 360 toneladas. Com 156 pés por hectare, a atividade gera uma produção estimada de 468 caixas.

Jabuticaba, sim senhor!
Há 35 anos, José Pedro Viera produz jabuticabas com irrigação em Hidrolândia. Com um pomar que ultrapassa mil plantas em uma propriedade de 26 hectares, o produtor deu início à colheita da safra no último dia 3 de setembro. José Pedro estima que no final da temporada colherá 100 caixas de jabuticaba. Ainda segundo o produtor, uma caixa pesa em média 30kg, e pode ser vendida entre R$ 50 a R$ 200 de acordo com a oferta e a demanda do mercado.

Além da comercialização, o produtor rural investe na degustação das frutas por visitantes de diversos municípios. Os ingressos para acesso ao jabuticabal custam R$ 20 de segunda a sexta e R$ 25 nos finais de semana.

Compartilhar: