Sofrimento – Meninos ainda não têm condições físicas de sair da caverna

Reprodução/Internet

Relatório indica que pelo menos dois dos meninos na caverna tailandesa apresentam sintomas de fadiga; chuvas podem acelerar resgate

Médicos que examinaram os 12 meninos e seu técnico de futebol, presos desde o dia 23 de junho no complexo de cavernas de Thuam Luang, no norte da Tailândia, chegaram à conclusão que eles ainda não têm condições físicas de sair de maneira segura do local, especialmente se tiverem de fazer um mergulho. Por isso, retirá-los nesta quinta (5) foi descartado.

A informação é de um integrante dos fuzileiros navais tailandeses que comandam a operação de resgate, segundo a CNN. De acordo com um relatório médico, pelo menos dois dos meninos apresentam sinais de exaustão e fadiga, após passarem quase duas semanas confinados em um pequeno espaço elevado acima da água, no escuro, sem poder se movimentar muito, sendo nove dias praticamente sem comida.

Urgência para o resgate
Com isso, um resgate imediato está praticamente descartado. Por outro lado, a meteorologia está prevendo novas chuvas fortes na região, o que aumenta a urgência na busca de soluções para retirar o grupo.

Além das bombas que estão retirando enormes volumes de água de dentro da cavernas, os fuzileiros tailandeses agora passaram a bombear oxigênio para dentro da caverna.

Houve várias tentativas de passar um cabo telefônico para que os meninos possam se comunicar com os familiares que estão na parte de fora da caverna, mas nenhuma foi bem sucedida ainda.

Enquanto isso, cerca de 20 a 30 equipes de voluntários percorrem a parte externa da montanha. Segundo relatos, os meninos disseram ter ouvido barulhos como cães latindo e um galo cantando, indicando que pode haver algum buraco que ligue o teto da caverna ao exterior, que seria uma rota mais segura para retirá-los.

(Fábio Fleury, do R7)

Olhe link da matéria completa:
https://noticias.r7.com/internacional/meninos-ainda-nao-tem-condicoes-fisicas-de-sair-da-caverna-05072018

 

Compartilhar: