Presidente da Colômbia quer que os EUA retirem as Farc da lista do terror

Foto: Reprodução

"Se eles assinarem o acordo é porque temos um prazo para o seu desarmamento e eles se comprometeram a baixar as armas e fazer essa transição para a vida dentro da lei”, disse o presidente sobre as Farc

O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, gostaria que os Estados Unidos removessem as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) da lista de organizações terroristas, e que suspendessem os mandatos contra os comandantes da guerrilha, se o acordo de paz com a mais antiga insurgência da esquerda na América Latina for fechado. 

Em uma entrevista dias antes da visita à Casa Branca, Santos fez suas declarações mais arrebatadoras em três anos de negociações de paz sobre o importante papel de Washington no acordo. Ele deve se reunir com o presidente norte-americano, Barack Obama, no dia 4 de fevereiro. 

A reunião de alto nível destaca o momento histórico da Colômbia: as negociações de paz que acontecem em Cuba chegaram ao que ambos descrevem como caminho sem volta, com o acordo final que deve encerrar um derramamento de sangue de meio século. 

"Se eles assinarem o acordo é porque temos um prazo para o seu desarmamento e eles se comprometeram a baixar as armas e fazer essa transição para a vida dentro da lei. Então eu diria 'sim', eu acho que eles devem ser eliminados da lista do terror", disse Santos no palácio presidencial nesta quinta-feira.

Compartilhar: