Policial afirma que ocorreu

Foto: Reprodução

Cenas de terror marcaram atentado ao Bataclan Concert Hall, onde havia cerca de 100 reféns

Duas autoridades policiais de Paris afirmaram que as forças de segurança francesas encerraram a invasão ao Bataclan Concert Hall, teatro no qual havia cerca de 100 reféns. Dois atiradores foram mortos. 

Um dos policiais descreveu uma "carnificina" dentro do teatro, afirmando que os terroristas jogaram explosivos nos reféns.

Embaixada diz que há 2 brasileiros entre feridos
Dois brasileiros estão entre os feridos nos ataques da noite de ontem, 13, em Paris, confirmou a embaixadora brasileira Maria Edileuza Fontenele Reis em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo. Eles estão sendo submetidos a cirurgias e o estado de saúde deles não estava claro. 

A embaixadora disse que se tratavam de dois estudantes que vivem na França e eles foram identificados, mas ela não poderia informar seus nomes enquanto as famílias não fossem comunicadas. A diplomata relatou clima de tensão. Havia ao menos três estações de metrô fechadas e policiais e agentes de segurança por toda a cidade. 

Maria Edileuza disse ter sido surpreendida pelo barulho das sirenes de ambulâncias e viatura da polícia, mas estava em casa quando tudo ocorreu. A diplomata destacou o fato de o país estar se preparando para receber a conferência mundial do clima e mais de 100 chefes de Estado e de governo em alguns dias. "A situação me parece muito grave." 

A embaixadora, que está há um ano em Paris, não estava na França durante os ataques ao semanário satírico Charlie Hebdo em janeiro. Mas quando retornou de uma viagem ao Brasil, notou que tudo havia mudado, com policiais armados vistos em todos os lugares. "Agora, vai ficar pior."

Jihadistas celebram ataques em Paris no Twitter, diz grupo de Inteligência
Contas do Twitter ligadas a militantes jihadistas celebram os ataques em Paris que mataram dezenas de pessoas, informou o grupo de Inteligência SITE. 

O SITE, que rastreia militantes extremistas na Internet, afirmou que postagens no Twitter atribuídas à apoiadores de jihadistas estão especulando qual grupo terrorista possa ser responsável pelos ataques. Muitos usuários da rede social acreditam que o Estado Islâmico possa estar por trás das ações. 

"Ele usam hashtags em árabe que dizem 'Paris em chamas' e 'Califado ataca a França'. 

Segundo o SITE, as contas no Twitter também compartilhavam imagens dos ataques e um canal que apoia o Estado Islâmico acusou a França de enviar aviões para bombardear a Síria e afirma que "hoje eles bebem do mesmo copo.

Compartilhar: