Número de mortos em terremoto no Japão sobe para 32

FOTO: REPRODUÇÃO

A mídia local reporta que quase 200 mil domicílios estão sem energia elétrica e que os sistemas de distribuição de água potável também falharam na região

Forças do exército e outras equipes de resgate trabalham neste sábado na tentativa de encontrar sobreviventes nos escombros após dois fortes terremotos atingirem a região sudoeste do Japão. Até agora, as autoridades relatam que 32 pessoas morreram nos tremores e cerca de 1.500 pessoas ficaram feridas. São esperadas chuvas na região, o que deve complicar ainda mais os trabalhos de resgate. As chuvas também aumentam os riscos de deslizamentos de terra em áreas rurais isoladas.

Na madrugada de sábado, um tremor de 7,3 graus atingiu a região de Kumamoto, na ilha de Kyushu, deixando ao menos 22 mortos. O primeiro terremoto, de 6,5 graus, atingiu o local na noite de quinta-feira, matando dez pessoas. 

A mídia local reporta que quase 200 mil domicílios estão sem energia elétrica e que os sistemas de distribuição de água potável também falharam na região. Há pelo menos 184 pessoas gravemente feridas e cerca de 91 mil habitantes tiveram de deixar suas casas. 

O primeiro-ministro, Shinzo Abe, expressou preocupação sobre desastres secundários, que podem ser causados pela chuva e pelos ventos fortes previstos. Deslizamentos de terra foram registrados e bloquearam estradas e destruíram pontes.


LEIA MAIS…
Dois terremotos matam ao menos 29 pessoas no Japão

Dois fortes terremotos atingiram, em um período de 28 horas, o sudoeste do Japão, deixando ao menos 29 mortos e 1.500 feridos. Na manhã deste sábado, o número exato de vítimas ainda era desconhecido, já que havia pessoas presas sob escombros. Milhares de habitantes da região de Kumamoto, na ilha de Kyushu, tiveram de buscar abrigo em ginásios e lobbies de hotéis. 

A previsão de chuvas torna ainda mais complicado o esforço de resgate das vítimas e pode provocar deslocamentos de terra em áreas rurais isoladas.

O primeiro terremoto, de 6,5 graus, atingiu o local na noite de quinta-feira, matando dez pessoas. O segundo abalo, de 7,3 graus ocorreu à 1h25 deste sábado, no horário local. Dezenove vítimas fatais foram confirmadas, mas autoridades locais afirmaram que o número de mortos certamente vai se ampliar. 

Há pelo menos 80 pessoas feridas com gravidade e cerca de 70 mil habitantes tiveram de deixar suas casas. Mais de 200 mil domicílios estão sem eletricidade.

Uma série de abalos secundários se seguiram ao segundo evento, incluindo um tremor de 5,4 graus na manhã deste sábado. O epicentro dos terremotos foi localizado a cerca de 10 quilômetros abaixo da superfície. 

O monte Aso, o maior vulcão em atividade no Japão, que fica localizado em Kyushu, entrou em erupção pela primeira vez em um mês. A fumaça atingiu 100 metros de altura, mas não provocou danos. 

O órgão regulador da geração de energia nuclear no Japão afirmou que não foram registradas anormalidades na usina de Sendai.

Compartilhar: