Saúde alerta para os acidentes com animais peçonhentos

Foto ilustrativa

O escorpião se alimenta de baratas e sobrevive em ambientes urbanos com facilidade

Neste mês de março a previsão é de chuvas e também o perigo de acidentes com cobras e escorpiões. Durante o período chuvoso, os animais peçonhentos são obrigados a sair dos seus esconderijos e procurar novo abrigo, tanto em áreas urbanas quanto rurais. Assim, não é difícil encontrá-los nas proximidades das casas, jardins e parques.

Dados do Centro de Informações Toxicológicas da Secretaria da Saúde de Goiás (SES) revelam que em 2015 foram registrados 1. 672 casos de envenenamento provocados por picadas de escorpiões. Em 2016, já são 193 em dois meses. Quanto às cobras, ocorreram 1.022 registros de mordidas de serpentes no ano passado.

O processo de urbanização também estimula o aumento da exposição a estes animais. O escorpião, por exemplo, se alimenta de baratas, portanto, sobrevive em ambientes urbanos com facilidade. Além disso, o depósito e acúmulo de lixo, entulhos e materiais de construção junto às habitações podem servir de abrigo para os animais peçonhentos.

A médica veterinária da SES, Veruska Castilho, explica que a melhor forma de evitar acidentes é adotar medidas de prevenção. “Recomendo manter a casa e a área ao redor limpas, uma vez que o lixo e entulhos podem servir de abrigo para cobras e escorpiões”, orienta a responsável pelo cadastro de animais peçonhentos do CIT. Se encontrar algum tipo de cobra ou escorpião, informar à Secretaria de Saúde do município onde mora.

Segundo Veruska, caso ocorra um acidente com escorpião ou cobra, lavar o local da picada com água e sabão e levar a vítima imediatamente ao serviço de saúde mais próximo para que possa receber o tratamento em tempo. E também entrar em contato com o Centro de Informações Toxicológicas da SES, pelos telefones 0800 6464 350 ou 0800 722 6001. A ligação é gratuita e pode ser feita até por telefones celulares. No caso de serpentes, ela orienta cuidado redobrado para trabalhadores rurais e praticantes de ecoturismo.

O que fazer para controlar a ocorrência de escorpiões?

As medidas de controle e manejo populacional de escorpiões baseiam-se na retirada/coleta dos escorpiões e modificação das condições do ambiente a fim de torná-lo desfavorável à ocorrência, permanência e proliferação destes animais.

Na área externa do domicílio:
• Manter limpos quintais e jardins, não acumular folhas secas e lixo domiciliar;
• Acondicionar lixo domiciliar em sacos plásticos ou outros recipientes apropriados e fechados, e entregá-los para o serviço de coleta. Não jogar lixo em terrenos baldios;
• Limpar terrenos baldios situados a cerca de dois metros (aceiro) das redondezas dos imóveis;
• Eliminar fontes de alimento para os escorpiões: baratas, aranhas, grilos e outros pequenos animais invertebrados;
• Evitar a formação de ambientes favoráveis ao abrigo de escorpiões, como obras de construção civil e terraplenagens que possam deixar entulho, superfícies sem revestimento, umidade etc;
• Remover periodicamente materiais de construção e lenha armazenados, evitando o acúmulo exagerado;
• Preservar os inimigos naturais dos escorpiões, especialmente aves de hábitos noturnos (corujas, joão-bobo, etc.), pequenos macacos, quati, lagartos, sapos e gansos (galinhas não são eficazes agentes controladores de escorpiões);
• Evitar queimadas em terrenos baldios, pois desalojam os escorpiões;
• Remover folhagens, arbustos e trepadeiras junto às paredes externas e muros;
• Manter fossas sépticas bem vedadas, para evitar a passagem de baratas e escorpiões;
• Rebocar paredes externas e muros para que não apresentem vãos ou frestas.

Na área interna:
• Rebocar paredes para que não apresentem vãos ou frestas;
• Vedar soleiras de portas com rolos de areia ou rodos de borracha;
• Reparar rodapés soltos e colocar telas nas janelas;
• Telar as aberturas dos ralos, pias ou tanques;
• Sacudir roupas, sapatos e toalhas antes de usar;
• Verificar a roupa de cama antes de deitar, afastando a cama da parede;
• Telar aberturas de ventilação de porões e manter assoalhos calafetados; • Manter todos os pontos de energia e telefone devidamente vedados.

Medidas Preventivas Contra Cobras:
* Não andar descalço;
* Usar luvas de couro nas atividades rurais e de jardinagem;
* Nunca colocar as mãos em tocas ou buracos na terra, ocos de árvores, cupinzeiros, entre espaços situados em montes de lenha ou entre pedras;
* Quando entrar em matas ou em pomar com muitas árvores, esperar a vista se adaptar aos lugares menos iluminados;
* Não depositar ou acumular material inútil junto à habitação rural, como lixo, entulhos e materiais de construção;
* Controlar o número de roedores existentes na área para evitar a aproximação de serpentes venenosas que deles se alimentam;
* No amanhecer e no entardecer, nos sítios ou nas fazendas, chácaras ou acampamentos, evitar a aproximação da vegetação muito próxima ao chão, gramados ou até mesmo jardins, pois é nesse momento que as serpentes estão em maior atividade;
* Proteger os predadores naturais de serpentes como as emas, as seriemas, os gaviões, os gambás e cangambás, e manter animais domésticos como galinhas e gansos próximos às habitações que, em geral, afastam as serpentes.

Compartilhar: