Palácio das Esmeraldas será transformado em ponto turístico de Goiânia

FOTO: Humberto Silva

A residência oficial do governador de Goiás que já foi palco de saraus, bailes, velórios e importantes decisões políticas, receberá visitas monitoradas de estudantes e a população em geral

Espaço histórico que já recebeu uma infinidade de autoridades locais, nacionais e internacionais, além de inúmeros eventos culturais, políticos e sociais, o Palácio das Esmeraldas será valorizado como ponto turístico de Goiânia. A residência oficial do governador de Goiás que já foi palco de saraus, bailes, velórios e importantes decisões políticas, receberá visitas monitoradas de estudantes e a população em geral, assim como outros cinco prédios também na Praça Cívica: Antiga Chefatura de Polícia, a atual sede da Procuradoria Geral do Estado (PGE), o Centro Cultural Marieta Telles Machado, a antiga sede do Tribunal de Contas do Estado e o Museu Zoroastro Artiaga.

Todos eles integrarão o Circuito Cultural Praça Cívica Dr. Pedro Ludovico Teixeira, projeto de iniciativa do Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Educação, Cultura e Esporte (Seduce). Essas edificações em estilo art déco, construídas nos anos 30, são tombadas como patrimônio arquitetônico.

A ideia é promover a musealização desses pontos, ou seja, divulgar ao público o devido valor histórico dos monumentos, obras de arte e patrimônios públicos. No caso do Palácio, serão identificadas as obras de arte que compõem o  acervo do Museu de Arte Contemporânea de Goiás (MAC), as autorias, as técnicas e estilos utilizados. Elas também serão datadas.

O mesmo procedimento será feito com os móveis. “Além disso, haverá uma exposição fotográfica permanente contando a história da construção do Palácio, desde a origem até os tempos atuais e dos governadores que passaram por ele”, explica o arquiteto o arquiteto Marcílio Lemos, chefe do Núcleo de Obras e Recuperação do Patrimônio da Superintendência de Patrimônio Histórico e Artístico da Seduce e responsável pelo projeto.

O projeto agora está na fase de captação de recursos para obras de restauro dos prédios, serviço estimado em cerca de R$ 100 milhões. A expectativa é de que essa revitalização seja concluída ainda no primeiro semestre de 2017.

 

Jardim das Jabuticabeiras
As visitas ao Palácio serão com dias e horários pré-agendados, por se tratar da residência oficial do governador. Cenário de bailes da alta sociedade e eventos sociais badalados, o jardim do Palácio das  Esmeraldas, semelhante em estilo ao Palácio de Versalhes, na França, com suas fontes de água e postes de iluminação construídos em estilo art déco, também será aberto à visitação.

O belo pomar das 17  jabuticabeiras plantadas pela então primeira-dama Dona Gercina Borges na década de 1940 será uma atração à parte. “A intenção é valorizar a memória goiana não só pela restauração dos edifícios, mas também pela valorização da história e cultura”, concluiu Marcílio.

História
Tombado pelo Estado e pelo Município, o Palácio das Esmeraldas foi projetado pelo arquiteto Atílio Corrêa Lima. A construção foi autorizada em 1933 pelo interventor Pedro Ludovico Teixeira. A obra foi concluída em 1937.

Segundo relatos, nenhum governante deixou de ocupar suas dependências. O nome se deve à cor verde-esmeralda da fachada.

Compartilhar: