Noivos denunciam que pagaram por casamento no exterior, mas agência não fechou pacotes

Reprodução/TV Anhanguera

Clientes pagaram por viagens, mas não conseguiram embarcar

O sonho dos noivos Karlla Rodrigues Dos Santos, de 30 anos, e Diogo Kratka, de 33, de se casarem em Punta Cana, na Republica Dominicana, não deve ser realizado. O casal e mais 25 convidados denunciam que pagaram mais de R$ 177 mil a uma agência para organizar a viagem, mas descobriram que não há passagem nem reserva em hotéis.

“Estou totalmente desolada. Sempre foi nosso sonho casar fora, viver esse momento na praia, com todo mundo que a gente gosta junto. E agora? O dinheiro se foi, não tem mais casamento, ficou só o casamento civil. É a única coisa que a gente vai ter”, desabafou a noiva à TV Anhanguera.

Como eles, mais de 300 clientes denunciaram à Polícia Civil que foram vítimas da London Tour, localizada no Setor Sul, em Goiânia. Os policiais calculam que o prejuízo aos clientes é superior a R$ 1 milhão. O G1 tenta contato com os proprietários da empresa, Rodrigo Rodrigues e Giovanna Augusta Moreira Fernandes, para que se posicionem sobre a denúncia do casal, mas as ligações não foram atendidas até a última atualização da reportagem.

Em nota enviada anteriormente à TV Anhanguera, o escritório de advocacia que responde pela instituição reconheceu que clientes tiveram viagens canceladas em virtude da “ crise econômico-financeira” enfrentada pela empresa. Disse ainda que “está procedendo com as medidas necessárias” ao cumprimento dos contratos “da forma menos gravosa possível”.

Sonho cancelado
Administrador de empresas, Diogo explicou que a viagem seria entre 4 e 11 de setembro, sendo o casamento no dia 9. Há cerca de dois anos eles se organizavam para a cerimônia.

Segundo o noivo, eles foram a várias agências de viagens antes de fechar o negócio e optaram pela London Tour por ter passado mais credibilidade. O casal começou a pagar o pacote em janeiro.

“Antes da London, fomos em três agências. Pesquisamos e lá não foi o mais barato, mas passou confiança, muita gente falou bem também”, explicou ao G1.

De acordo com os noivos, os donos da agência afirmavam que estava tudo certo para o casamento. Porém, descobriram que eles sequer entraram em contato com o hotel.

“O pior para mim é o tanto que ela foi dissimulada, mandava áudio falando que estava tudo certo com a cerimônia, do jeito que a gente queria. Ela ainda tinha a cara de pau de falar: ‘O hotel tem disponibilidade às 16h. Você quer às 16h ou 17h?”, relata Karlla, que trabalha como analista de sistemas.

O casal conta que a maioria já quitou todo o pacote turístico. “Praticamente todo mundo já finalizou o pagamento, poucas que ainda têm chance de tentar entrar com estorno da fatura do cartão”, garantiu a noiva.

Mais vítimas
Segundo a Polícia Civil, a empresa vende pacotes nacionais, internacionais e tem forte presença no turismo religioso. O padre Marcos Rodrigo, que viajaria para Israel, publicou nas redes sociais um vídeo dizendo que também lesado. “Se faliu, porque vendeu pacote para o povo? Nós fomos enganados também”, diz na gravação.

A bióloga Simone Pelles conta que já tinha feito várias viagens para fora do Brasil com a mesma empresa e nunca teve problema. Agora, com pacote pago para a Alemanha há um ano, ela descobriu que não vai poder viajar.

“Para a gente foi uma supresa. Ninguém esperava. Durante um ano eu paguei esta viagem. Durante um ano eu fiquei esperando, ansiosamente, para não dar em nada”, desabafou.

Outra vítima é a pensionista Maria das Mercês Guimarães Aires. Ela revela que estava no Aeroporto Santa Genoveva quando descobriu que não ia embarcar. “Peguei minha economia e paguei a vista essa viagem. Eu estou sem chão, eu não sei o que vou fazer”, disse à TV Anhanguera.

Investigação
A Polícia Civil investiga se a empresa está enfrentando um processo de falência e se houve o crime de estelionato. Segundo o delegado Webert Leonardo informou à TV Anhanguera que tantos as vítimas quanto os responsáveis pela London Tour serão ouvidos ao longo desta semana.

"Há indícios da prática do crime de estelionato e também de crimes contra o consumidor", disse o delegado.

Responsável pelo caso, o delegado Frederico Maciel disse que tomas as medidas já foram tomadas pela Decon. “A gente fez um agendamento do atendimento de todas as vitimas, representamos por diversas cautelares para que nos auxiliem durante a investigação. Algumas delas já foram deferidas, como o monitoramento eletrônico através de tornozeleira dos investigados, a proibição de saída da comarca de Goiânia, o cancelamento do passaporte”, pontuou. (G1-GOIÁS)

 

Olhe link da matéria completa, fotos e vídeo:
http://g1.globo.com/goias/noticia/noivos-denunciam-que-pagaram-por-casamento-no-exterior-mas-agencia-nao-fechou-pacotes.ghtml

 

 

Compartilhar: