GoiásFomento ajuda a movimentar a economia

FOTOS: REPRODUÇÃO

Carlos Augusto – produtor

O pequeno empreendedor Carlos Augusto Vieira termina em dezembro deste ano de pagar o segundo financiamento que pegou junto à GoiásFomento. Produtor de cachaça desde 1996 no município de Guapó, ele investiu desde o começo em cursos de qualificação junto ao Sebrae e, em 2001, foi até a instituição financeira em busca de empréstimos. Conseguiu R$ 30 mil e com este recurso investiu em equipamentos para o alambique.

Hoje já está quitando o segundo empréstimo, no valor de R$ 25 mil, que usou para modernizar a maquinaria e aumentar a produção de cachaça artesanal. O alambique produz 30 mil litros de cachaça por ano e chega a empregar oito funcionários durante os quatro meses de produção (período da entressafra da cana).

A cachaça é vendida para São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília e a meta do produtor é crescer cada vez mais. “Quero quitar este segundo financiamento da GoiásFomento e me preparar para pegar o terceiro, aumentar mais a produção e ajudar a divulgar o nome de Goiás”, diz Carlos Augusto.

O produtor é um dos milhares de clientes da GoiásFomento, criada em 1999 para estimular investimentos, a criação de emprego, geração de renda e a modernização das estruturas produtivas. O diretor administrativo e financeiro, Alair da Silva Rocha, lembra que a GoiasFomento é uma instituição financeira voltada para os pequenos, médios e microempreendedores. “Ela foi pensada para contribuir com o desenvolvimento, implementando geração de emprego e aumentando a renda das pessoas”.

O presidente Henrique Tibúrcio explica que o Brasil irá superar a instabilidade econômica. “Neste momento econômico a GoiásFomento está mapeando todas as possibilidades de ação para não deixar o pequeno empreendedor parar e incentivando aquele que está com parcelas atrasadas a negociar seu débito”, diz. “Cada pequena empresa gera emprego, movimenta a economia e não é interessante para ninguém que este círculo pare”, diz.

GoiásFomento orienta
A coordenadoria de Atendimento da GoiásFomento explica quais os primeiros passos para quem quer um financiamento. “É fundamental saber quanto de dinheiro irá precisar, por quanto tempo e a taxa que você poderá pagar”, explica Nelma Oliveira Gomes, coordenadora. “A empresa tem que estar regularmente inscrita”, completa.

O empréstimo deve ser usado com cuidado. Linhas de crédito convencionais cobram taxas de juros que podem comprometer sua operação comercial. Na GoiásFomento os juros podem ir de 0,8% a 2,264% ao mês, bem inferior ao de mercado. Mesmo assim, é preciso fazer um planejamento para que seja possível conciliar a rentabilidade do negócio e pagamento em dia do empréstimo.

A instituição funciona na Avenida Goiás, nº 91, no Centro de Goiânia, e opera financiamentos para capital de giro, investimentos e crédito produtivo, além de linhas para profissionais liberais.

VEJA LINK DA MATÉRIA: http://www.goiasagora.go.gov.br/goiasfomento-ajuda-a-movimentar-a-economia/

Compartilhar: