Apreendidos quase 650 quilos de pescado durante piracema em Goiás

FOTO: REPRODUÇÃO

Os materiais predatórios são encaminhados à incineração, e o pescado apreendido é doado a instituições sociais nos municípios onde as apreensões são realizadas

A Operação Piracema chegou ao fim, após quatro meses de permanência do período de defeso, quando a pesca esteve proibida em Goiás. Neste tempo, os fiscais da Secima lavraram 108 autos de infração, o que resultou em R$ 102.805,00 em multas.

Foram apreendidos 642,8 quilos de pescados diversos, além de 40 varas com molinete, 22 tarrafas, oito pindas, 30 redes, seis varas com carretilha, dois molinetes, seis espinheis, quatro varas e duas carretilhas.

Mais uma vez, o foco da ação foi a Região do Vale do Araguaia, onde a Secima possui cinco postos de fiscalização permanentes. Mas as ações também se estenderam a outras regiões goianas, com operações semanais de fiscalização.

Os materiais predatórios são encaminhados à incineração, e o pescado apreendido é doado a instituições sociais nos municípios onde as apreensões são realizadas.

A Piracema começou no dia 1o de novembro de 2016 e terminou dia 28 de fevereiro. O período de defeso da fauna aquática é importante para a reprodução das espécies e manutenção dos estoques pesqueiros. Terminada a Piracema, o Estado de Goiás mantém a Lei da Cota Zero, que proíbe o transporte de peixes dentro do território goiano.

Denúncias de crimes relacionados à pesca ilegal ou degradação ambiental podem ser feitas pelo telefone 0800-6462112.

Compartilhar: