Presidente do Corinthians detona CBF após saída de Tite ‘Foram sorrateiros’

FOTO: REPRODUÇÃO

Roberto de Andrade: "Estou puto com a CBF, para falar a verdade. Não recebi um telefonema, este é o respeito que a CBF tem pelos clubes”

Ao anunciar que Tite é o novo técnico da seleção brasileira, o presidente do Corinthians, Roberto de Andrade, disparou contra a CBF na quarta-feira, 15.Irritado, o dirigente disse que jamais foi procurado pela entidade solicitando a saída de seu treinador. 

"Estou puto com a CBF, para falar a verdade. Não recebi um telefonema, este é o respeito que a CBF tem pelos clubes. O Corinthians merecia um pouco mais de respeito", afirmou Roberto de Andrade.

"Para mim, o Tite merece a seleção brasileira, mas a CBF não merece uma pessoa como o Tite. A CBF não está acostumada a lidar com gente com ética, pela forma sorrateira com que tiraram o Tite", declarou o mandatário corintiano

Tite treinou o Corinthians na tarde desta quarta-feira e depois se reuniu com o presidente do clube no CT. Mas, na noite de terça-feira, segundo o dirigente, o treinador já havia dito ao clube sobre o interesse da CBF. Nesta quarta-feira, houve o "sim" de Tite à entidade.

"Se eles agissem de outra forma eu não iria mudar o final da história. Todos na vida trabalhamos para alguém, não sou eu que vou mudar o destino. Se eles querem respeito, e não falo porque é o Corinthians, é o mínimo que um presidente da CBF tem que fazer", reclamou.

Tite deve ir ao Rio de Janeiro ainda na noite desta quarta para assinar contrato com a CBF. O treinador não dirige mais o Corinthians. Fábio Carille comandará a equipe nesta quinta-feira contra o Fluminense, em Brasília, em rodada do Brasileirão.

"Entendo que seria um desgaste (treinar a equipe quinta). Temos que tocar nossa vida daqui para frente, achei melhor fazermos dessa forma", explicou Roberto de Andrade. O dirigente disse que agora irá iniciar a busca por um sucessor de Tite.


LEIA MAIS…
Presidente do Corinthians confirma saída de Tite, que será o técnico da seleção

Tite é o novo técnico da seleção brasileira. Treinador mais vitorioso da história do Corinthians e nome quase unânime entre torcedores brasileiros, ele foi confirmado como novo treinador da seleção até o final da Copa do Mundo da Rússia, em 2018. 

O novo comandante da seleção tem 55 anos e chega ao time nacional como um dos preferidos pela maioria dos torcedores. Na terça-feira, ele se reuniu com o presidente da CBF, Marco Polo Del Nero, e após quase três horas de reunião deixou para dar a resposta à entidade nesta quarta-feira.

"Tite a partir deste momento não trabalha mais conosco. Ele aceitou o convite da CBF. Hoje à tarde foi o último treino dele. No jogo de quinta e amanhã ele não dirige mais o time. Junto com ele sai Cleber Xavier, Matheus e Edu Gaspar", explicou o presidente do Corinthians, Roberto de Andrade. Assim, junto com o Tite, também vão para a seleção seus auxiliares e o gerente de futebol do clube.

A confirmação veio após o técnico se reunir com a diretoria do Corinthians durante a tarde desta quarta-feira, pouco mais de 12 horas após conversar com Del Nero no Rio.

A confirmação de Tite veio um dia após a CBF implodir toda a comissão técnica da seleção. Às 15 horas de terça-feira, a entidade anunciara que o técnico Dunga, o coordenador de seleções da CBF, Gilmar Rinaldi, e toda a comissão técnica estavam dispensados. 

Não havia multa contratual que impedisse o acerto com a CBF e o Corinthians também não dificultou a saída do treinador mais vitorioso de sua história. O clube já analisa nomes para substituí-lo.

Tite, que já rejeitara um convite, entende que este é o seu momento de assumir a seleção. Ele considera que o Campeonato Brasileiro está apenas começando e que não prejudica o clube ao aceitar comandar a seleção. Em 2015, porém, ele assinou um manifesto pedindo a renúncia de Del Nero da presidente da CBF. Esse manifesto havia sido organizado pelo movimento Bom Senso FC.

Tite é natural de Caxias do Sul e tem um vasto currículo. Após pendurar as chuteiras em 1989, pelo Guarani, o ex-volante iniciou a carreira de técnico no Guarany de Garibaldi, em 1990, e não parou mais. Passou por Caxias (1991/1992), Veranópolis (1992/95), Ypiranga de Erechim (1996/97), Juventude (1997/98), Caxias (1999/2000), Grêmio (2001/2003), São Caetano (2003/2004), Corinthians (2004/2005), Atlético MG (2005), Palmeiras (2006), Al Ain (2007), Internacional (2008/2009), Al Wahda (2010) e Corinthians (2010 a 2013 e de 2015 até agora).

Seus principais títulos foram os seguintes: Mundial de Clubes (2012), Copa Libertadores (2012), Copa do Brasil (2001), Campeonato Brasileiro (2011 e 15), Campeonato Gaúcho (2000, 2001 e 2009), Campeonato Paulista (2013), Copa Sul-Americana (2008), Recopa Sul-Americana (2013) e Copa Suruga (2009).

Compartilhar: