Encontrado em motel, técnico Marcelo Cabo pode ser demitido do Atlético-GO

FOTO: REPRODUÇÃO

Adson Batista: “Temos de pensar no Atlético Goianiense. O Marcelo é importante para nós, mas o principal é o Atlético. Vamos ouvir todos e a gente espera fazer o melhor para o clube”

A Polícia Militar de Goiás confirmou na terça-feira, 17, que o técnico do Atlético Goianiense, Marcelo Cabo, foi encontrado em um motel, em Aparecida de Goiânia, na região metropolitana da capital Goiânia, às 20 horas de segunda, mas não quis divulgar detalhes sobre o sumiço do treinador, que estava desaparecido desde às 3h02 de domingo.

A diretoria do clube goiano demonstra clara insatisfação com o ocorrido e promete decidir o futuro de Marcelo Cabo nos próximos dias. O diretor de futebol do Atlético, Adson Batista, afirmou que ainda não conversou com o técnico.

“O Marcelo está se recuperando. Ele não tinha condições de conversar ontem (segunda-feira). Vamos conversar com ele. A conversa vai ser no clube e em um momento em que ele tiver equilibrado para isso”, afirmou o dirigente à rádio 730 AM, de Goiânia.

“É uma situação que não é fácil resolver. Não adianta ficar aqui falando bonito. A realidade é que não vai ser fácil. Eu quero ouvir o Marcelo, os argumentos, o que ele está pensando para gente avaliar com muito cuidado. Temos um ano com muita dificuldade, não podemos ficar nos desgastando com essas coisas negativas”, completou Adson Batista, também sem divulgar detalhes sobre o caso.

“Temos de pensar no Atlético Goianiense. O Marcelo é importante para nós, mas o principal é o Atlético. Vamos ouvir todos e a gente espera fazer o melhor para o clube”, disse o dirigente.

Sem o treinador, o elenco do Atlético treinou nesta terça-feira no CT Urias Magalhães, em Goiânia, sob o comando dos auxiliares João Paulo Sanches e Rodolfo Oliveira e do preparador físico Jorge Sotter.


LEIA MAIS…
Polícia confirma que técnico do Atlético-GO foi encontrado em motel

O desfecho do desaparecimento do técnico do Atlético Goianiense, Marcelo Cabo, ocorreu em um motel, em Aparecida de Goiânia, na região metropolitana da capital, na noite de segunda-feira, 16. A Polícia Militar confirmou que o treinador foi localizado dentro do estabelecimento, mas não quis divulgar detalhes sobre as circunstâncias em que Marcelo foi encontrado.

O comandante do policiamento da capital, tenente coronel Ricardo Rocha, concedeu uma entrevista coletiva na manhã desta terça-feira e confirmou que o treinador estava bem. "Detalhes serão passados por ele", destacou o militar. 

A localização de Marcelo, que estava desaparecido desde às 3h02 de domingo, quando deixou o apartamento onde mora em seu carro, sem levar telefone celular e carteira, se deu por meio da informação de um taxista, que levou o treinador de volta ao seu apartamento, no meio da tarde desta segunda-feira. Após ser visto no local, Marcelo voltou a desaparecer. Ele só foi localizado pela PM por volta das 20h desta segunda-feira.

"Não sou de crucificar ninguém. Vamos avaliar. Ele está liberado para se recuperar. O clube tem uma imagem e tudo tem limites. Em todos os momentos, esperamos a recuperação do ser humano, ele é uma pessoal que não tem o perfil do que aconteceu", comentou o diretor de futebol do Atlético-GO, Adson Batista, em entrevista à Rádio 730.

A diretoria do clube deve convocar uma entrevista para que o técnico se explique. "O Atlético não vai expor ninguém. O clube vai tomar as decisões que forem necessárias. O único problema é que o Marcelo é uma pessoa pública. Precisamos ter equilíbrio neste momento", esclareceu o dirigente.

Compartilhar: