Emocionado, Marcos inaugura seu busto na sede do Palmeiras

Foto: Reprodução

Marcos: "Nunca me coloquei como maior goleiro da história do clube, até porque sei que muitos grandes passaram por aqui nessa história centenária, mas tive a felicidade e a sorte de vestir a camisa do time que torço por 20 anos”

Uma dia depois de uma grande homenagem a Rogério Ceni, no Morumbi, outro goleiro tido como ídolo foi eternizado, desta vez no Palmeiras. "São Marcos" também recebeu homenagem justa e inaugurou seu busto de bronze nas alamedas da sede social do clube alviverde, na Barra Funda, em São Paulo. 

Ao lado da família, do presidente Paulo Nobre e de alguns torcedores, o próprio ex-atleta puxou o pano para revelar a escultura. O goleiro não conteve a emoção ao ver a obra. "A gente ensaia tanto para falar alguma coisa e, quando chega aqui, esquece tudo. Isso aqui é uma honra. Jamais na minha vida, quando saí de Oriente, poderia imaginar algo como isso."

"Gostaria de agradecer ao Paulo (Nobre) e a todos os diretores e conselheiros que aprovaram o busto. Agradecer também a Deus, por ter me acompanhado durante toda a carreira, e dedicar isso aos meus filhos e minha esposa, meu pai e minha mãe", completou.

"Nunca me coloquei como maior goleiro da história do clube, até porque sei que muitos grandes passaram por aqui nessa história centenária, mas tive a felicidade e a sorte de vestir a camisa do time que torço por 20 anos. Estou muito honrado, pouca gente no mundo tem uma homenagem com essa. Só tenho que agradecer a todos", completou o pentacampeão. 

Antes de desvelar o busto, Paulo Nobre também falou. "É uma honra para mim ter tido você como ídolo e depois a honra de virar seu amigo. É uma honra para mim hoje, que sou presidente, poder, junto com 20 milhões de torcedores do Palmeiras, eternizar você no clube. Você é o cara", afirmou o dirigente. "Sei que meu forte nunca foi a beleza, mas está parecido comigo. Está simpático!", disse, em tom de brincadeira, Marcos. 

A data escolhida para a inauguração da estátua, 12/12, é sugestiva, já que este foi o número que o arqueiro mais usou pelo Palmeiras. E, desde o dia 12/12/12, ano de sua aposentadoria, é comemorado o "Dia de São Marcos", pela torcida do clube palestrino. Estas coincidências começaram desde sua contratação: "Pensar que cheguei aqui por 12 pares de chuteira, acho até que fui longe demais." 

Marcos é apenas o quinto jogador da história palmeirense a ganhar um busto no clube. Sua estátua ficará ao lado das de Junqueira, Waldemar Fiúme, Ademir da Guia e Oberdan Cattani, também goleiro. 

Contratado em 1992 do Lençoense, Marcos fez 532 partidas com a camisa alviverde. No total foram 13 títulos, o mais marcante deles o da Copa Libertadores de 1999, da qual foi eleito o melhor jogador da competição, feito inédito para um goleiro. 

A canonização de Marcos foi principalmente por suas defesas de pênaltis, sendo as mais importantes as que eliminaram o rival Corinthians das Libertadores de 1999 e 2000. Na primeira, pelas quartas de final, evitou o gol de Vampeta. No ano seguinte, na semi, pegou a cobrança de Marcelinho Carioca.

Compartilhar: