Dunga convoca seleção para Copa América com sete jogadores com idade olímpica

FOTO: REPRODUÇÃO

"Alguns jogadores que não estão nessa lista poderão vir a ser convocados, mas outros já sabemos o comportamento e o rendimento"

O técnico Dunga anunciou nesta quinta-feira a lista dos 23 jogadores que irão disputar a Copa América Centenário, no próximo mês, nos Estados Unidos. Entre as novidades na relação estão Rodrigo Caio, do São Paulo, Ederson, goleiro do Benfica, e Gabriel, do Santos.

Dos convocados, sete jogadores atuam no futebol brasileiro, e sete têm idade olímpica. São eles: Ederson, Fabinho, Douglas Santos, Rodrigo Caio, Rafinha Alcântara, Marquinhos e Gabriel. Neymar ficou de fora da lista porque o jogador irá disputar a Olimpíada e o Barcelona não liberou o atacante para as duas competições. 

O Santos teve três jogadores convocados – Gabriel, Ricardo Oliveira e Lucas Lima -, que vão desfalcar o time em até nove rodadas do Campeonato Brasileiro se a seleção avançar para a final da Copa América Centenário, agendada para 26 de junho. Essa situação se repetirá com Internacional (Alisson), São Paulo (Rodrigo Caio) e Atlético Mineiro (Douglas Santos) e Corinthians (Elias).

O ex-goleiro do São Paulo Rogério Ceni será o auxiliar técnico pontual durante a Copa América Centenário. Antes, o ex-meia Juninho Paulista, presidente do Ituano, desempenhará a função até o amistoso contra o Panamá, dia 29. O presidente do Flamengo Eduardo Bandeira de Mello, será o chefe da delegação.

"Alguns jogadores que não estão nessa lista poderão vir a ser convocados, mas outros já sabemos o comportamento e o rendimento", explicou Dunga, ao abrir a convocação.

A seleção iniciará a preparação para a Copa América Centenário, marcada para os Estados Unidos, na cidade de Los Angeles, onde a delegação começa a se apresentar no dia 22 de maio, um domingo. 

Filipe Luis, do Atlético de Madrid, e Casemiro, do Real Madrid, deverão se apresentar apenas uma semana mais tarde, pois os seus clubes disputam a final da Liga dos Campeões da Europa dia 28, em Milão. 

O primeiro jogo do Brasil em terras norte-americanas será diante do Panamá, em amistoso que será disputado em 29 de maio na cidade de Denver. O Brasil estreia na Copa América no dia 4 de junho, no Rose Bowl, em Pasadena, contra o Equador. No dia 8, o adversário será o Haiti, em Orlando, no Citrus Bowl. O Brasil fecha a primeira fase da competição em Foxborough, no Gillette Stadium, em 12 de junho, contra o Peru.

Confira a lista de convocados do Brasil para a Copa América Centenário:

Goleiros: Alisson (Internacional), Diego Alves (Valencia) e Ederson (Benfica).

Laterais: Daniel Alves (Barcelona), Fabinho (Monaco), Douglas Santos (Atlético-MG) e Filipe Luís (Atlético de Madrid).

Zagueiros: Gil (Shandong Luneng), Marquinhos (Paris Saint-Germain), Rodrigo Caio (São Paulo) e Miranda (Inter de Milão).

Volantes: Casemiro (Real Madrid), Elias (Corinthians), Luiz Gustavo (Wolfsburg) e Rafinha Alcântara (Barcelona).

Meias: Lucas Lima (Santos), Philippe Coutinho (Liverpool), Renato Augusto (Beijing Guoan), Willian (Chelsea) e Douglas Costa (Bayern de Munique).

Atacantes: Gabriel (Santos), Hulk (Zenit) e Ricardo Oliveira (Santos).


LEIA MAIS…
Dunga diz que espera resposta de jogadores com idade olímpica na Copa América

A seleção brasileira que disputará a Copa América Centenário terá sete jogadores com idade olímpica. Dentre eles, as novidades no grupo principal são o goleiro Ederson, do Benfica, o zagueiro são-paulino Rodrigo Caio e o atacante Gabriel, do Santos. Marquinhos (Paris Saint-Germain), Fabinho (Monaco), Douglas Santos (Atlético Mineiro) e Rafinha Alcântara (Barcelona) completam a lista.

A escolha, segundo o técnico Dunga, passou por um grande trabalho do "departamento de inteligência" da CBF, grupo formado por olheiros e membros da comissão técnica e que é responsável por monitorar o desempenho de centenas de jogadores mundo afora.

Sobre o goleiro Ederson, o técnico classificou como "um goleiro moderno, que começou num clube pequeno em Portugal e depois foi para o Benfica para a vaga de um goleiro da seleção", fazendo referência a Júlio Cesar, goleiro do Brasil nas duas últimas Copas do Mundo.

"O Rodrigo Caio já esteve aqui. É um jogador que atua também como volante, é versátil, tem uma boa bola área e saída de jogo. Um perfil muito bom de profissional. O Gabigol nós vimos, eu e o Gilmar, em um torneio na Espanha logo que assumimos. Tinha um certo receio, uma coisa negativa sobre ele, mas nós decidimos apostar e deu certo. Nós conversamos com o clube, com o treinador, e ele deu uma resposta muito boa", explicou Dunga. O treinador, porém, disse que essa "coisa negativa" era de discussão interna.

O técnico disse ainda que espera grande retorno dos atletas com idade olímpica na Copa América. "É bom esclarecer que esses jogadores que estão chegando agora à seleção principal é porque eles merecem. Quanto ao peso ou não, a seleção brasileira tem compromisso com a vitória. Temos que entrar sempre com essa ideia e mentalidade. As duas competições são importantes", declarou. "É importante eles entenderem que eles não estão aqui nas Olimpíadas. Eles estão na Copa América. O futuro vai depender do presente", profetizou o técnico.

Dunga também destacou que esses jogadores já adquiriram boa bagagem em seus clubes e na própria seleção. "Como o Gilmar (Rinaldi) me disse uma vez: 'Experiência se ganha praticando, e praticando poder ser na seleção brasileira'. Esses jogadores, apesar de jovens, já têm boa experiência e estão participando da seleção há algum tempo", disse o treinador da seleção.


Sem Neymar, Dunga fala em ter 'equipe competitiva' na Copa América

Dunga tem por hábito não falar sobre atletas que ficam de fora da convocações, mas nesta quinta-feira o treinador falou sobre a principal ausência da lista de 23 jogadores do Brasil chamados para a Copa América Centenário: Neymar. O atacante não foi liberado pelo Barcelona para jogar duas competições com a seleção, e Dunga preferiu contar com ele nos Jogos Olímpico do Rio, e não na competição continental. "Temos outros jogadores", resumiu.

"O Neymar não se precisa falar muito pra saber o jogador que ele é, mas temos jogadores muito competitivos, com qualidade, que já demonstram na seleção brasileira a sua competência, a sua qualidade. Nós jogamos as Eliminatórias, em alguns jogos, sem o Neymar", lembrou o técnico.

"Gostaríamos de contar com ele, mas quando não for possível temos jogadores que podem dar a resposta que todos nós queremos. A seleção tem que ser uma equipe competitiva, que busca a vitória e, principalmente, usar nosso talento. Nós temos jogadores que têm esse potencial do drible, da criatividade, de jogar em triangulação, de buscar o gol", insistiu Dunga.

O técnico, no entanto, não apontou quem seriam esses jogadores. Na lista divulgada nesta quinta-feira, os atacantes – segundo definição da própria CBF – são Hulk, do Zenit, e Gabriel e Ricardo Oliveira, do Santos. 

Apesar da ausência de Neymar, Dunga espera um futebol alegre na Copa América que será realizada nos Estados Unidos. "Quando o jogador vem pra seleção brasileira ele tem que se divertir e ser feliz. É um momento único. Quatro anos, quando você piscar o olho, passou. Tem que vir aqui, dar o melhor, se divertir, ser feliz, e quando chegar em casa contar as historias na seleção", comentou.

Compartilhar: