Segundo ABAV, 60% dos brasileiros passarão férias de verão em cidades do Brasil

FOTO: REPRODUÇÃO

De acordo com a Associação Brasileira de Agências de Viagens (ABAV), dessa vez, os brasileiros decidiram passar as férias no próprio País

O verão é a época que os brasileiros mais viajam. A temporada mais quente do ano não é o único fator que colabora com isso, as férias escolares, as festas de fim de ano e o carnaval também são oportunidades para os brasileiros fecharem pacotes de viagem nessa estação do ano.

De acordo com a Associação Brasileira de Agências de Viagens (ABAV), dessa vez, os brasileiros decidiram passar as férias no próprio País. Durante o verão, as vendas de pacotes para cidades do Brasil já representam 60%. Seguindo esse ritmo de vendas as empresas do setor projetaram um aumento de até 6% na comercialização de pacotes de férias e um movimento de aproximadamente R$ 220 milhões de reais até o final do ano de 2016.

A projeção é animadora para quem está nesse mercado, uma vez que no ano de 2015 as empresas de turismo encerraram o ciclo com um faturamento bruto de R$ 11 bilhões de reais, uma quantia 7% menor em comparação com o faturamento de 2014, último período de ganhos considerados expressivos para o setor.

A crise tem feito os brasileiros realizarem trocas, no caso das férias, os destinos internacionais foram substituídos por destinos nacionais. Com o real desvalorizado, os pacotes de viagem para cidades locais se tornaram as preferidas dos brasileiros que vão tirar férias. Informações obtidas através de alguns dados do anuário da Braztoa revelaram que no ano de 2015, o Brasil foi o destino de 60% dos brasileiros que viajaram, sendo que, do total, 67% escolheram visitar o Nordeste.

O brasileiro criou uma cultura de viagem nas férias, com planejamento e substituições de destinos mais caros por destinos mais baratos, a crise não se tornou desculpa para cancelar a viagem no verão. O vice-presidente da Associação Brasileira de Agências de Viagens, explica que os pacotes de final de ano e verão representam 40% de toda a movimentação anual.

Quem decide viajar no verão pagando bons preços tem usado a internet como aliada. Para pesquisar destinos econômicos o acesso a sites de viagens é fundamental, a proposta é checar preços de hotel, passagens aéreas, locação de veículos e até passeios em um único ambiente e por conta própria, com autonomia para decidir o que comprar e como comprar Os sites de compras de viagem são os que mais vendem pacotes de férias, através de um dispositivo móvel como celular ou tablet é possível procurar um roteiro, checar os melhores preços, adicionar serviços, comparar preços e finalizar a compra 

Um estudo chamado Travel Flash Report, revelou que 17% das compras online realizadas no Brasil no setor de turismo são feitas por dispositivos móveis, o que corresponde a quase uma em cada cinco compras. Quando se leva em conta somente os smartphones, as vendas chegam a 13% no ambiente virtual, sendo que de junho de 2015 para junho de 2016 o uso de smartphones ou tablets para reservas de pacotes de viagem cresceu 31% 

O estudo ainda mostrou que todos os seguimentos registraram um crescimento nas vendas on-line, sendo 20% para hotéis, 18% para pacotes de viagens e 12% para passagens aéreas. De acordo com o Travel Flash Report 51% das reservas realizadas 24 horas antes do check-in vem de um celular, sendo o computador a maneira mais comum de finalizar a compra online de um roteiro de férias.

As vendas online de viagens são as mais procuradas por brasileiros em épocas de crise. As facilidades oferecidas pelos e-commerces do setor são um dos motivos que fazem os brasileiros checarem primeiro as ofertas de sites como o We Love Webshops e depois as das empresas físicas de turismo. A We Love Webshops, reúne as melhores boutiques online, produz um conteúdo segmentado que inclui lojas de viagens que oferecem serviços variados e ofertas para quem pretende sair de férias e procura na internet pelos destinos da sua próxima viagem.

O turismo é uma das principais atividades econômicas de um País. Segundo dados da Organização Mundial de Turismo, os impactos diretos e indiretos do setor correspondem a 10% do PIB mundial e cerca de 9% dos empregos. Os dados apresentados também mostram que 73,4 milhões de viagens poderão ser feitas entre dezembro (2016) e fevereiro de 2017. Esse número reflete um aumento de 8% em relação ao ano anterior, quando 72,8 milhões de viagens foram realizadas. A expectativa é de que os pacotes de férias de verão movimentem R$ 100 bilhões de reais.

Compartilhar: