‘PARCEIRINHA’ DE NEYMAR – Doença deixa criança com corpo de idosa

Reprodução/Internet

Clarinha, de 8 anos, conheceu o jogador: "ela é comunicativa e alegre", disse Neymar

A pequena Ana Clara Gusmão, carinhosamente apelidada de Clarinha, de oito anos, realizou seu grande sonho na semana passada: conhecer seu ídolo, o jogador do PSG Neymar. Ela mora na cidade de Comercinho, a mais de 700 km de Belo Horizonte, capital de Minas Gerais. De aparência frágil, a menina chama a atenção devido à aparência de idosa, causada pela Síndrome de Hutchinson-Gilford ou progéria, que provoca o envelhecimento precoce, é extremamente rara e sem cura. Porém, a doença só acomete a parte física do paciente, sem prejudicar o desenvolvimento cerebral.

A neuropsicóloga Edinalva Borges, que acompanhou a menina durante a visita ao craque, em São Paulo, explicou ao R7 que Ana Clara tem altura de criança de três anos, mas o corpo de idosa, além de seus órgãos terem aparência de 84 anos. Quando Ana Clara anda muito, por exemplo, "fica cansada". Sua parte cognitiva é perfeita e ela uma inteligência acima da média na linguagem. 

— O Neymar ficou impressionado porque ela é bastante comunicativa e alegre.

Descoberta da síndrome
A mãe da menina, a dona de casa Gracilda Pereira, de 50 anos, percebeu logo cedo que a filha caçula era diferente dos seus outros cinco filhos. Ela relata ter descoberto a síndrome da pequena no primeiro mês de vida de Clarinha, após uma peregrinação a hospitais, quando ela ficou com a barriga muito inchada. "Fui no mesmo médico que fez a cesárea e ele passou um remédio, mas ela só piorava. Cheguei a ir a hospitais em Itaobim, Teófilo Otoni, Belo Horizonte e Divinópolis, onde ela ficou 24 dias internada. Depois me deram o diagnóstico e me encaminharam para fazer o tratamento dela.

"Por que me chamam de careca?"
Apesar das dificuldades impostas pela síndrome, Clarinha mantém a rotina parecida com as das meninas de sua idade. Ela frequenta as aulas do 2º ano do Ensino Fundamental na cidade em que mora, faz lição de casa, desenha e escreve. “Ela é muito inteligente”, elogia a mãe.

— Ela sofre preconceito de algumas crianças que zombam dela. Ela entende a doença, mas tem hora que pergunta “Mãe, por que os meninos me chamam de careca e cabeça pelada? Mas eles não perguntam por que eu sou feliz, né? ”

O sonho de conhecer o Neymar surgiu em 2014 na Copa do Mundo. Uma das irmãs mais velhas de Clarinha postou um vídeo em uma rede social que chamou a atenção do jogador. Logo depois, a equipe dele entrou em contato com a família para convidá-la a ir a São Paulo. Além das lembranças do encontro, Clarinha vai guardar fotos e as camisas da seleção brasileira e do Paris de Saint Germain, time pelo qual Neymar é contratado. (Dinalva Fernandes, do R7)

Olhe link da matéria completa:
https://noticias.r7.com/saude/parceirinha-de-neymar-doenca-deixa-crianca-com-corpo-de-idosa-19102017

 

 

Compartilhar: