Fernanda Vasconcellos revela ainda não ter vontade de gerar, mas sim de adotar criança

Foto: Reprodução

Atriz deu entrevista ao lado do namorado, o também ator Cássio Reis, que já é pai de Noah, com Danielle Winits

O casal Fernanda Vasconcellos e Cássio Reis já mostra muita sintonia na vida real, e agora, eles estão também mostrando que tem química nos palcos, na peça Enfim, nós, comédia romântica em cartaz no Rio de Janeiro. Para falar um pouco do relacionamento e do projeto, eles deram uma entrevista à coluna de Leo Dias, do jornal O Dia. 

Fernanda e Cássio já moram juntos, embora não tenham se casado formalmente ou usem alianças. Fernanda afirmou que ganhou um anel de compromisso do amado (como no costume norte-americano, só ela usa a peça, de brilhante), e que não faz questão da cerimônia.

– Eu, Fernanda, não [faço questão]. Não fui criada assim. Lá em casa, a gente não tinha esses rituais. Eu não tive festa de 15 anos.

– Eu acho que não adianta nada você fazer uma cerimônia, gastar mundos e fundos se você não tem uma solidez em casa. Acho que todo o relacionamento é como uma pirâmide: tem que ter uma base – completou Cássio.

Muitos casais não lidam bem com trabalhar junto, já que isso acaba aumentando muito o tempo de convívio, mas eles não se importam:

– Eu acho que a gente ficou mais em sintonia. Sinto que a gente está mais sensível um com o outro, porque na peça um tem que ser sensível com o outro. Senão, a peça não acontece.

Cássio é pai de Noah Reis, de 7 anos, fruto de sua relação com Danielle Winits, e a coluna não deixou de perguntar sobre a convivência de Fernanda e o garoto. Será que a convivência com Noah desperta alguma coisa maternal na morena? Ela preferiu não responder. Se fosse meu filho, eu falaria abertamente, mas prefiro respeitar a posição dos pais sobre isso. 

No entanto, ela afirmou que não tem vontade de ser mãe. 

– Por enquanto, não. Mas tenho muita vontade de adotar uma criança. Eu fiz um trabalho voluntário muito tempo com essas crianças que já foram violentadas, e isso me causava um incômodo enorme. (…) a diferença é isso. você fazer alguma coisa por alguém. Mas vontade de gerar e ser mãe, eu não tenho, por enquanto.

Compartilhar: