Maggi: queda de 90% nas exportações é ‘coisa absurda’

FOTO: JOSÉ CRUZ/AGÊNCIA BRASIL

Maggi estimou que as exportações poderão ser regularizadas num prazo entre uma semana e 15 dias. Ainda assim, o prejuízo já ocorreu

O ministro da Agricultura, Blairo Maggi, classificou como "uma coisa absurda" a queda de mais de 90% nas exportações de carne, após as revelações da Operação Carne Fraca, da Polícia Federal. As receitas recuaram de uma média diária de US$ 63 milhões para US$ 74 mil.

Ele estimou que as exportações poderão ser regularizadas num prazo entre uma semana e 15 dias. Ainda assim, o prejuízo já ocorreu. No mínimo, os frigoríficos perderam de uma semana a 15 dias nos volumes de produção que haviam programado para este ano.

Maggi informou que, após regularizado o comércio, fará uma viagem ao exterior e visitará os principais mercados da carne brasileira.

Na próxima semana, ele recebe o comissário europeu para Saúde e Segurança Alimentar, Vytenis Andriukaitis. Segundo explicou, a visita já estava programada, pois o europeu participará de um evento em Brasília.

Maggi acrescentou que Andriukaitis já deu declarações avaliando que o Brasil é seguro e que não há problema com a carne brasileira. "Se ele disser isso no Brasil, vai nos ajudar muito."

Sobre o recall de carne realizado nesta sexta-feira, 24, pela Secretaria do Consumidor do Ministério da Justiça, o ministro disse que "não acha nada". Ele classificou como natural que os órgãos do governo tomem suas providências. "Como não houve laudos, eu gostaria de esperar. O Ministério da Agricultura segue essa política", disse.


LEIA MAIS…
22 países suspendem total ou parcialmente importação de carne

Levantamento divulgado na sexta-feira, 24, pelo Ministério da Agricultura mostra que 22 países ou blocos econômicos já suspenderam total ou parcialmente as importações de carne brasileira após as revelações da Operação Carne Fraca, da Polícia Federal.

São 13 os países que suspenderam as compras do produto brasileiro: Hong Kong, China, Chile, Argélia, Jamaica, Trinidad e Tobago, Panamá, Catar, México, Bahamas, São Vicente e Granadinas, Granada e São Cristóvão e Névis. Esses dois últimos não constavam do balanço divulgado ontem pela pasta.

Outros nove países ou blocos suspenderam as compras apenas dos 21 frigoríficos investigados na operação. São eles: Japão, África do Sul, União Europeia, Suíça, África do Sul, Canadá, Egito, Emirados Árabes Unidos e Vietnã. Os Emirados Árabes não constavam da lista divulgada ontem. Vietnã estava na relação dos países que apenas endureceram seus controles sanitários na entrada.

O balanço do Ministério da Agricultura mostra também que quatro países apenas aumentaram a fiscalização sanitária sobre a carne brasileira. São eles Estados Unidos, Coreia do Sul, Malásia e Argentina. Israel, Barbados e Rússia apenas pediram informações adicionais.

Compartilhar: